TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

RODEIOS DA VIDA

Na semana retrasada, Shirley publicou... 

- Peraí, tesco, poesia não é nas quintas-feiras? 

Sim, mas o que vai ser analisado não é poesia romântica, o 
que é o normal das quintas. O poema publicado foi sobre um 
tema ético-moral, de alcance social. 

- Ah! A corrupção, Petrobrás, PT, mídia partidária que sonega 
informação sobre a desgraceira que seus partidos fazem, essas 
coisas? 

Não, nada disso, também é vergonhoso mas é sobre outros 
aspectos da sociedade. É sobre a exploração do sofrimeto dos 
animais para divertimento público. O poema publicado tem o 
título de "Rodeio", mas a crítica abrange as touradas e as 
vaquejadas. 

Quando se torna necessário buscar o auxílio dos animais para 
conseguir executar as diversas tarefas humanas, não é coisa 
reprovável utilizár sua força muscular. Mesmo nessa faceta do 
caso, os excessos tendem a ser coibidos pela sociedade. 

Mas utilizar-se do esforço e das peculiaridades dos animais, 
com a exclusiva finalidade de divertimento é, simplesmente, 
odioso! 

Veja a comoção e revolta expressadas no poema da Shirley: 

RODEIO
Shirley
(2015.08.22)

Na fronteira da vida 
um portal sinistro se abre 
e o nosso irmão menor 
indefeso e inocente 
depara-se com a imensidão 
da crueldade humana. 
À sua frente está o homem 
exibindo pseudo coragem 
e evidente ignorância 
sem saber que semeia e aduba 
sua futura colheita. 
É incompreensível 
que por ganância 
criaturas se vendam e soneguem 
a própria consciência. 
Rodeio 
tourada 
vaquejada 
são palavras 
carregadas de terror. 
Diante de tanta covardia 
de tanto primitivismo 
meu coração angustiado emerge 
de singular perplexidade. 
Nessas horas abissais 
eu daria minha vida 
para acabar com essa maldade 
e salvar os animais." 

   ***   ***   ***  

Despreza-se a integridade psicológica  dos animais, assim 
como seus direitos elementares. Psicológica sim, podem negar 
porque lhes apraz, mas sua individualidade, sensibilidade e 
capacidades cognitiva e de memória são irrefutáveis.  

Somando-me ao pensamento e à intenção da Shirley, lanço 
também meu grito de revolta contra essa insensibilidade e 
essa crueldade humana: 

APELO AO RACIONAL
tesco
(2015.08.25)

Pretexto de diversão, 
Com alma que enegrece, 
A humanidade tece 
Tortura de nosso irmão 

Bem na fronteira da vida 
Ele sofre desamor 
Carregado de terror 
Procura e não vê saída 

Daquele portal sinistro 
Daquele triste portão 
Não entendendo a razão 
De semelhante registro 

Fugir de leão - quem dera - 
Correndo pela savana 
A ignorância humana 
É pior do que a fera 

Taxar de primitivismo 
É pouco pr'essa maldade 
Dosagem de crueldade 
Em meio a muito sadismo 

Por certo erraram seu nome 
Puseram em um chacal 
Grande recheio fecal 
E o chamaram de "ôme"! 

   ***   ***   ***   

Nem faço menção a outras manifestações de selvageria, ainda 
típicas de nossa sociedade atual, como exterminar animais 
para roubar-lhes as peles (focas, martas, arminhos), ou presas 
(elefantes), ou seu órgão de defesa natural (rinocerontes). 
Essas abominações que envergonham a espécie humana. 

Também não faço alusão ao abate de animais para consumo 
em alimentação. Não é uma necessidade fisiológica, como 
muitos alegam, mas ainda é uma necessidade psicológica. 
Aí é obrigatório esperar pelo despertar das mentalidades. 

Mas para a exploração do sacrifício animal unicamente como 
divertimento, não existe mais justificativa. É fato que avilta a 
consciência humana! 

Abraço do tesco. 

domingo, 30 de agosto de 2015

SORTESCO 360



STALKER
ARKADI e BORIS STRUGATSKI
Nada a ver com a série televisiva, este foi a base para a
adaptação cinematográfica de Andrei Tarkovski e para o 
vídeo game homônimos. 
Após breve visita de uma raça alienígena, estranhos objetos 
especiais são encontrados em locais isolados da Terra. 
Nessas áreas, então chamadas de Zonas de Visitação, 
fenômenos paranormais são frequentes, permanentemente 
modificando aqueles que ousam atravessá-las. 
Red Schuhart, um 'stalker' – caçador desses estranhos objetos 
para venda no mercado negro - busca as respostas para os 
mistérios que rondam a visita dos extraterrestres. 
Tem 186 páginas. 

INSCREVA -SE ASSIM: 
Escolha apenas UMA dezena, AINDA DISPONÍVEL, 
entre 00 e 99, e indique sua escolha nos comentários. 
Sua opção será válida ATÉ às 17 horas do dia do sorteio. 
O sorteio (item 2 do Regulamento) será em 05/09/2015. 

sábado, 29 de agosto de 2015

SORTESCO 359 - RESULTADO

A dezena sorteada hoje foi 55,
e a opção vencedora é de:
CLARA LUCIA!
Parabéns!

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

CONTRACANTO: TEMPO DE ESQUECER

Será que foi por isso que eu esqueci de visitar o blog da 
Shirley durante a semana de 15 a 22 deste mês? 
O poema postado foi o "Tempo de esquecer"! 

Esclareço: Foi por isso não! Eu estava em meio a exames 
médicos e isso me é muito estressante, nem tanto pelos 
resultados, mas pela simples rotina de fazer os exames. 
Esse negócio de acordar cedo já não está nos meus planos. 

Mas o poema, cheio de melancolia, é nostálgico, refletindo as 
reminiscências que passeiam pela mente da autora. Ela não 
conta quais são, mas, nesse mundo da recordação, a poeta 
parece perambular sem rumo definido, colhendo flores aqui, 
espinhos ali, aromas acolá, saudades em todo lugar... 

Quem sabe, amores malfadados cruzam sua mente, e a sua 
intenção era, justamente, esquecê-los? 
Veja, a seguir, a poeta declarando que é 'tempo de esquecer': 

TEMPO DE ESQUECER
Shirley
(2015.08.15)

"Fecho os olhos 
cruzo distâncias 
sobre o abismo do peito 
e lembranças  
fustigam-me a mente. 
Guardo do passado 
o som de tempestades 
cheias de sementes e de ossos. 
Esmago com os pés a solidão 
e caminho com passos largos 
como se eu tivesse para onde ir...

   ***   ***   ***   

Eu, pelo contrário, assumo o papel do amante despezado que, 
talvez, a 'lembradora' tenta esquecer: Suplico-lhe que não me
atire no labirinto do esquecimento e me dê mais uma chance. 

Parece que já houve um tempo de bonança, o tempo em que 
ele foi feliz, se regozijando nos braços da sua amada. Existem 
(muitos) casos assim, em que a parceira não suporta mais os 
desatinos do 'jovem' e lhe dá o bilhete azul. Tristemente, uns 
deles são os casos que chegam às manchetes, pois o 'demitido'
era mesmo desatinado. 

O 'heroi' enfocado aqui parece estar mesmo apaixonado e se 
lamenta bastante. Veja o que ele diz: 

NÃO ME ESQUEÇAS 
tesco
(2015.08.25)

"Sei que solidão mais triste 
É não ter pra onde ir 
O passado não existe 
Ainda não há porvir 
Os amigos se esconderam 
Os amores pereceram 
Nenhum motivo pra rir 

Ai meu amor tenhas dó 
Não me deixa assim tão só! 

Sobre o abismo do peito 
As dores ergueram ponte 
Só se encontram os defeitos 
Parece que somos fonte 
Nem o som de tempestades 
Nem todas as potestades 
Nos fazem erguer a fronte 

Ai meu amor tenhas dó 
Não me deixa assim tão só! 

Sem antever horizontes 
Eu caminho a passos largos 
Supero rios e montes 
Só colho frutos amargos 
Nesse meu itineráro 
Não tenho nenhum salário 
Mas sim todos os encargos 

Ai meu amor tenhas dó 
Não me deixa assim tão só! 

Comigo tristeza trago 
E a nostalgia avança 
Sujeira do tempo drago 
Mas não me sai da lembrança 
A era em que fui feliz 
Que desse tempo haja bis  
Sempre cultivo esperança! 

Ai meu amor, "Credo em cruz"! 
Vem trazer-me tua luz!" 

   **   ***   ***   

Este soluço apaixonado traz como inovação um arcaísmo, que 
é um dístico repetido entre as estrofes, uma feição típica da 
Idade Média. Não tenho visto isso nem nos poemas do século 
19. Que é que me atacou o juízo? Arcaísmo nesse tempo de 
versos brancos? 

Sabe-se lá! O fato é que a última elocução do dístico 'resgata' 
uma fala popular que também anda sumida. Data da época 
(não sei quando) em que o latim das missas era misturado 
com o português corrente, formando hibridismos, em que a
forma latina é preservada ao lado do 
termo comum em vez do
latim. Credo em 
cruz é uma mistura de 'credo in crux' com
'creio na cruz'. 


Apesar dos arcaísmos vamos seguindo com a poesia. O mais 
importante é que poesia não nos falte em nosso cotidiano, que 
é muito duro de encarar sem a visão poética. 

Abraço do tesco. 

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

SORTESCO D 11


CD SUCESSOS DOS ANOS
 60
JOVEM GUARDA 

Pequena seleção (apenas 12 faixas) de músicas dos anos 60 
e ligadas ao movimento Jovem Guarda. Ressalte-se que há 
uma pequena distorção nesse título: 'Tell me once again', 'Hey 
girl' e 'Summer holliday' nem são anos 60 nem jovem guarda, 
são anos 70 e fazem parte da época dos "Brazilian singers", 
quando muitos cantores brasileiros cantavam em inglês, com 
pseudônimos. A seleção é boae tem coisa que não se ouve 
mais, como 'Adeus ingrata' e 'Eu te amo mesmo assim'. 
Lista das faixas: 
1. Let me once again - Light Reflections 
2. Adeus (goodbye) - Nalva Aguiar 
3. No dia em que parti - Paulo Sérgio 
4. Estúpido Cupido (Stupid Cupid) - Suely 
5. Adeus ingrata - Cláudio Fontana 
6. Summer holiday - Terry Winter 
7. O bom rapaz - Wanderley Cardoso 
8. A primeira namorada - Ângelo Máximo 
9. Hey girl - Lee Jackson 
10. Eu te amo mesmo assim - Martinha 
11. Tema de Lara (Lara's theme from Dr. Jivago) - The Jordans  
12. Olhando as estrelas (Look for a star) - Os Carbonos

INSCREVA-SE ASSIM: 
Escolha apenas UMA dezena, AINDA DISPONÍVEL, 
entre 00 e 99, e indique sua escolha nos comentários. 
Sua opção será válida ATÉ às 17 horas do dia do sorteio. 
O sorteio (item 2 do Regulamento) será em 02/09/2015. 

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

SORTESCO D 10 - RESULTADO

A dezena sorteada hoje foi 83,
e a opção vencedora é de:
DORLI!
Parabéns!

domingo, 23 de agosto de 2015

VAMPIROS

Em abril deste ano eu estava lendo o relatório do Congresso 
Internacional Esperantista de Universidades, na edição 2005, 
para tentar ampliar meu vocabulário e, pelo menos, fluência 
na leitura do Esperanto. 

Na palestra sobre vampiros procurava, além da prática de 
leitura, algum indício de que os pesquisadores universitários 
estivessem se aproximando do conhecimento da realidade 
espiritual. 
Qual! 
Durante todo o artigo nada é citado sobre alguma coisa 
transdimensional, que lembre sequer, o mundo pós-morte. 

Faço uma tradução 'tescal' dos dois primeiros parágrafos 
da introdução da palestra, para se ter uma ideia da base 
sobre a qual trabalhará a conferencista: 

VAMPIROS 
Jane Edwards, Harvard University, USA  

"O conceito vampiro não é universal: muitas sociedades 
não acham nenhuma utilidade em homens mortos que se 
tornam "não-mortos'” e obtêm sua imortalidade de sugar 
o  sangue daqueles que vivem. 

Mas essa construção ficcional (“fantasmas sgadores de 
sangue" ou "corpo reanimado do morto”) permanece 
notavelmente  duradoura, pelo menos, no mundo ocidental, 
onde existe já há dois mil anos." 

   ***   ***   ***   

Ou seja, a palestrante trata apenas da "construção ficcional", 
não vislumbrando jamais a distorção de uma realidade factual: 
A visita de espíritos desencarnados, sejam eles ignorantes ou 
mal intencionados. 

E procura, o tempo todo, saber de onde vem tal pensamento: 

"Por que então se imaginar, e acabar por acreditar, que esse 
estado de «não-morto» exista realmente?

Aliás, ali ninguém é espírito, apenas os vampiros conseguem 
tal proeza de firmar-se 'imortais', nessa infeliz e restrita visão 
materialista. 

É uma restrição muito grande de visualização para pesquisa e, 
consequentemente, a ciência em seu todo é quem sofre esse 
atraso inexplicável em relação aos avanços tecnológicos. 
A filosofia da ciência está muitos passos atrás da tecnologia. 

Seria muito mais simples e produtivo tomar, pelo menos como 
hipótese de trabalho, a premissa de que uma dimensão extra, 
invisível aos nossos instrumentos e à nossa visão normal, 
permeia as dimensões que reconhecemos normalmente. 

Isso explicaria, como de fato explica, os casos de lugares "mal 
assombrados", os "poltergeists", a origem dos contos de fada, 
as histórias de lobisomens, as lendas sobre gênios, etc.. 

Alguém poderá contrapor: 
- Peraí, você tá dizendo que o espiritismo é que é a filosofia 
da ciência? 

Exatamente! Sem a noção de dimensão espiritual, todo nosso 
conhecimento se torna falho, deficiente como os que sofreram 
os efeitos da talidomida, às vezes sem braços, às vezes sem 
pernas, muitas vezes sem olhos. Em resumo, é trabalhar com 
um corpo incompleto! 

Para tristeza nossa, essa visão ainda prevalece em muitos dos 
mundos acadêmicos. Porém, mais uns 400 anos e tudo mudará. 
Não é, Galileu? 

Abraço do tesco. 

SORTESCO 359

COMPAIXÃO
EMMANUEL
psicografia CHICO XAVIER
Mais um livrinho (9x13 cm, 72páginas) 
trazendo as iluminadas advertências do 
mentor, como essa: 
"Compadece-te dos animais, 
Eles te auxiliam a viver. 
A abelha faz o mel. 
A vaca oferta o leite." 




ESPERA SERVINDO

EMMANUEL
psicografia CHICO XAVIER
Outro livrinho (9x13 cm, 90 páginas) com 
avisos importantes para vivermos bem. 
Por exemplo: 
CLARO REGISTRO
"As oportunidades para a construção do 
bem procedem de Deus. 
O aproveitamento está em nós." 




INSCREVA -SE ASSIM: 
Escolha apenas UMA dezena, AINDA DISPONÍVEL, 
entre 00 e 99, e indique sua escolha nos comentários. 
Sua opção será válida ATÉ às 17 horas do dia do sorteio. 
O sorteio (item 2 do Regulamento) será em 29/08/2015. 

sábado, 22 de agosto de 2015

SORTESCO 358 - RESULTADO

A dezena sorteada hoje foi 20,
e a opção vencedora é de:
CYNTHIA!
Parabéns!

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

CONTRACANTO: ARREBOL

Originalmente este soneto tinha por título "Grilhões partidos", 
pois foi inspirado no caso de divórcio de uma das senhoras 
que frequentavam o chat Terra em 2002. Optei por mudar o 
título pois o conjunto não transmite a ideia de separação, 
mas antes a de nascimento. 

Depois de uma noite tenebrosa, sempre vem o dia, seja ele 
nublado, chuvoso, poeirento, frio, quente, ou até um pouco 
escuro. De todo modo, normalmente, o raciocínio fica mais 
claro e mais lógico. 

O "terrível" no primeiro verso se refere à escuridão da noite, 
que pode ter sido ruim por diversos motivos: Insônia, doença, 
dores físicas, dores emocionais... Ou nem ter sido ruim, porém, 
de toda maneira, mesmo uma noite enluarada não rivaliza 
com a claridade do dia. 

O poema faz analogia entre o nascer do Sol após uma noite
particularmente escura e o desabrochar de um sentimento 
terno no coração. Não é visado, necessariamente, um romance, 
um evento qalquer, como a conversão a uma doutrina religiosa, 
o nascimento de um filho, a superação de uma deficiência 
física, ou mesmo, a conscientização de que somos todos uma 
só humanidade e o consequente amor por todo o pessoal do 
mundo. 

Observe: 

ARREBOL
tesco
(2002)

"Após terrível noite aclara o dia 
Qual fogo em palha ascende o sol em flama  
Assim de alguém a vida se alumia 
Quando em seu coração se acende a chama   

E qual um sol raiando vai o amor 
Vai aquecendo a vida que se leva  
Até brotar a planta em fulgor, 
Que rompendo o chão ao céu se eleva  

Bendito o sol do amor, a poesia! 
Bendito o coração que tem amor! 
Bendita a vida, coração e sol!  

E vai o amor gerando a alegria 
E vai a alegria superando a dor 
Até tornar-se a vida um arrebol." 

   *   *   *   

Muitos dirão: 
- Como amar um assassino, um celerado, um terrorista? 
Eles são muito diferentes de mim! 

Na verdade. a diferença é pouca, estamos a milimetros de um 
tipo desses, enquanto a distância que nos separa de um São 
Francisco de Assis, de um Mohandas Gandhi, de uma Madre 
Tereza, pode alcançar quilômetros. 

- E daí? 

Daí que a vida não para e e a continuidade dela é irrefutável. 
Desses que a gente quer distância, pode-se dizer: 

Eu sou você ontem! 

Tudo evolui, amemos! 

Abraço do tesco. 

SORTESCO D 10




DVD RINGO STARR ESPECIAL
ALL STARR BAND 
Desde o final dos anos 80, o ex-Beatle Ringo Starr comanda 
a All Starr Band, onde divide o palco com vários astros do 
rock. Aqui esta registrado um show da primeira turnê da banda, 
realizada em 1989. As faixas do DVD são: 
1 - It don't come easy_Ringo Starr 
2 - The no no song_Ringo Starr 
3 - Iko iko_Dr. John 
4 - Yellow Submarine_Ringo Starr 
5 - The weight_Levon Helm 
6 - Will it go round in circles_Billy Preston 
8 - Honey don`t_Ringo Starr 
9 - You are friend of mine_Clarence Clemons & Billy Preston 
10 - Shape I'm in_Rick Danko 
11 - I wanna be your man_Ringo Starr 
12 - Life in the fast lane_Joe Walsh 
13 - Up on a cripple creek_Levon Helm 
14 - Boys_Ringo Starr 
15 - Bein angry_Nils Lofgren 
16 - Right place, wrong time_Dr. John 
17 - Quarter to three_clarence clemons 
18 - Rocky mountain way_Joe Walsh 
19 - Photograph_Ringo Starr 
20 - With a little help from my friends_Ringo Starr 
   *   *   *   
Provavelmente você nunca oviu falar desses 'astros', além 
de billy Preston e Joe Walsh, mas não se preocupe, todos 
têm boa 'cancha', pois não deixam cair a animação. 
Show com cerca de 90 minutos. 

INSCREVA-SE ASSIM: 
Escolha apenas UMA dezena, AINDA DISPONÍVEL, 
entre 00 e 99, e indique sua escolha nos comentários. 
Sua opção será válida ATÉ às 17 horas do dia do sorteio. 
O sorteio (item 2 do Regulamento) será em 26/08/2015. 

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

SORTESCO D 09 - RESULTADO

A dezena sorteada hoje foi 63,
e a opção vencedora é de:
CLARA LUCIA!
Parabéns!

domingo, 16 de agosto de 2015

BOBAGENS LINGUÍSTICAS 32

ENQUANTO

Apenas como curiosidade, pinçamos um pequeno trecho de
"O castelo", de Franz Kafka. Em certa altura do romance,  
Kafka faz um personagem falar assim: 

"...naturalmente exagero um pouco porque posso exprimi-lo 
enquanto exagero". 

Naturalmente, digo eu agora, o segundo 'exagero é verbo, 
pois a moda do 'enquanto' ainda não tinha surgido, mas hoje, 
esse modo de escrever encerraria uma dubiedade. Seguindo 
o esquisito modo de falar atual, o segundo 'exagero' poderia 
ser, perfeitamente, um substantivo, o que redundaria em não 
significar nada. 

Mas é esse o "espírito da época", falar não significa dizer, e 
parece que é essa mesmo a intenção: Falar muito e dizer pouco. 


MUDANÇAS NA LÍNGUA

Em "Tales of space and time", escrito em 1900, . G. Wells, no 
conto "A story of the days to come", faz a seguinte previsão 
para 200 anos no futuro: 

"In spite of the intervening space of time, the English 
language was still almost exactly the same as it had been 
in England under Victoria the Good. The invention of the 
phonograph and suchlike means of recording sound, and 
the gradual replacement of books by such contrivances, 
had not only saved the human eyesight from decay, but 
had also by the establishment of a sure standard arrested 
the process of change in accent that had hitherto been so 
inevitable." 

O que se lê, pela tradução 'tescal':

"A despeito do intervalo de tempo decorrido, a língua inglesa 
era ainda quase exatamente a mesma que tinha sido na 
Inglaterra no tempo da Rainha Victoria. A invenção do 
fonógrafo e meios similares de gravação de sons, e a gradual 
substituição dos livros por essas contribuições, tinha não 
somente salvo a visão humana do declínio, mas tinha também, 
pelo estabelecimento de um efetivo padrão, detido o processo 
de alterações de pronúncia que até então tinha sido inevitável." 

A ficção científica ganhou fama de fazer previsões acertadas, 
mormente devido às obras de Jules Verne, embora não seja 
esse o objetivo visado. Porém, vemos aqui uma ocorrência 
completamente oposta: Nem se concretizou e parece que não 
se concretizará nunca. 

As línguas são organismos vivos (as faladas) e, assim sendo, 
nenhuma simples regulamentação vai parar seu movimento. 
Continuarão em seu processo de mudanças enquanto forem 
utilizadas, permanecer estático é característica do que está 
morto. 

Abraço do tesco. 

sábado, 15 de agosto de 2015

SORTESCO 358


CRÔNICAS MARCIANAS 

de RAY BRADBURY 
Este é o grande clássico de Ray Bradbury. E Bradbury, quem é? 
Apenas um escritor de ficção científica? Não. Embora se rotule 
a obra dele como ficção científica, é apenas uma rotulação. 
Seus textos transcendem qualquer rótulo, embora ambientados, 
frequentemente, em exploração espacial e, neste caso, em 
outro planeta. Além da parte tecnológica e uma dose de fantasia, 
enfoca os sentimentos humanos com sensibilidade e uma pitada 
de poesia. Ler Bradbury nos transporta facilmente a outras 
dimensões, mesmo tocando apenas assuntos terra-a-terra. 
Volume um tanto manchado e endurecido, com 190 páginas. 

INSCREVA -SE ASSIM: 
Escolha apenas UMA dezena, AINDA DISPONÍVEL, 
entre 00 e 99, e indique sua escolha nos comentários. 
Sua opção será válida ATÉ às 17 horas do dia do sorteio. 
O sorteio (item 2 do Regulamento) será em 22/08/2015. 

SORTESCO 357 - RESULTADO

A dezena sorteada hoje foi 57,
e a opção vencedora é de:
GLEIDSON MENESES!
Parabéns!

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

CONTRACANTO: AIS DA TARDE

Sábado passado Shirley invectivou contra a tarde: A tarde 
estava demorando muito a passar. Tudo bem, às vezes ocorre 
isso mesmo, alguma coisa que ansiamos não chega e o tempo 
se arrasta. 

Não chovia, não fazia frio nem calor excessivos, não havia um 
ruído irritante. Não, Shirley não se queixou de nada disso. 
Apenas o tempo demorava a passar. O que há por trás disso? 
A espera.  

Não foi especificado o objeto da espera, mas a espera de 
algum evento que mude nosso destino é sempre exasperante. 
E quando tudo depende de alguém que tarda, a aflição toma 
conta. 

Pode ser um juiz, um advogado, uma testemunha, o diretor 
da empresa, um professor... Não importa quem, há sempre 
um reboliço em nossas emoções. 

Mas quando se trata do ser amado... Ah! 
Aí é quando qualquer formiga se transmuta em um dragão! 
Contamos os nós num pingo d'água, vamos até onde o vento 
faz a curva e voltamos num segundo, o mundo se acaba 
várias vezes... E ele/ela não aparece! 

Nesses momentos não é aconselhável passar perto da Shirley, 
ela pode errar o alvo. Leia o poema: 

TARDE
Shirley
(2015.08.08)

"Estaciono o carro 

no meio-fio do silêncio 
e o vento audacioso de agosto 
desafia um gato que passa 
se esgueirando pelo muro rebocado 
pintado de cores sujas. 
Nada é definitivo 
nem essa espera 
nem essas horas de asas trincadas. 
Eu só preciso 
de um nutriente essencial 
para dar um ponta-pé 
nessa tarde que custa a passar..." 

   ***   ***   ***   

Ocupado em exames médicos, somente ontem pude atentar 
ao poema, e minha focalização caiu exatamente nessa espera 
do ser amado. Incorporei imediatamente o personagem que o 
poema da Shirley sugere, e eis-me esperando Godot não, digo 
melhor, Godeia. 

Nessa situação, os macaquinhos brincam livremente no sótão, 
e fantasmas e sombras diversas se aproveitam pra soprar suas 
infaustas e nefastas sugestões. As perspectivas para o futuro 
se enegrecem rapidamente e 
"nada é divino, nada é maravilhoso". 
Vejam a confusão instalada: 

AIS
tesco
(2015.08.12)

Nada é definitivo 

Nem mesmo essa longa espera 
Se fosse amena, quem dera! 
Porém tudo é aflitivo 
Quando eu voltava ela ia 
E não a encontro jamais 

A sanha de saber tudo 

Que duramente me assanha 
Faz renascer velha manha 
Que vai me deixando mudo 
Em meio a formas sombrias 
E proezas fantasmais 

Ando todo estonteado 

Não acho uma rota certa 
Ao destino de poeta 
Já me vejo condenado 
Sem topar com alegrias 
Mas recheado de ais 

E em meio ao vento forte 

Onde o sol jamais me brilha 
A devassar uma trilha 
Não encontro sul nem norte 
Somente pausa queria 
Nessas penas colossais." 

   ***   ***   ***   

O consolo é justamente a realidade do primeiro verso: 
Nada é definitivo! 
Pois sabemos que "não há mal que sempre dure, 
nem bem que nunca se acabe". 

Abraço do tesco. 

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

SORTESCO D 09



CD MEIO SÉCULO DE MÚSICA vol. 7
COLETÂNEA EDITORA EUROPA
Nesta coleção oferecida pela revista Natureza (ano 2000?), 
como acontece em todas as  coleções do tipo, preponderam 
as músicas norte-americanas. Acredito que nem tanto por sua 
qualidade musical, mas pela força da mídia e pela vendagem 
de discos. Se não, como explicar a presença de 'Mony, mony', 
'Da doo ron ron' ou 'Wooly bully' por aqui? Afora estas, não
tão 
grandes excrescencias, o repertório apresenta boas
músicas 
como se pode ver na lista de faixas: 
1. Earth Angel (Belvin) 
The Penguins - 2:54 
2. Something (George Harrison) 
Shirley Bassey - 3:28 
3. Bilits (Francis Lai) 
The London Starlight Orchestra - 3:42 
4. All I Ask Of You (Andrew Lloyd Webber) 
London Philharmonic Orchestra & Singers - 4:13 
5. Ne Me Ouite Pas (Jacques Brel) 
Bernard - 3:45 
6. I Am What I Am (Herman) 
Shirley Bassey - 3:07 
7. Careless Love (Ray Charles) 
Ray Charles -2:58  
8. Da Doo Ron Ron (Greenwhich/Barry/Spector) 
The Crystals - 2:20 
9. Oh Girl (Paul Young) 
The Chi-Lites - 3:30 
10. If I Had a Hammer (L. Hays / P. Seeger) 
Trini Lopez - 2:59 
11. Wooly BulIy (Domingo Samudio) 
Sam The Sham and The Pharaohs - 2:21 
12. Mony Mony (B. Gentry / B. Bloom / R. Cordell / T. James) 
Tommy James & The Shondells - 2:52 
13. Oh, Carol! (Greenfield / Sedaka) 
The Diamonds - 2:04 
14. Bom To Be WIId (Mars Bonfire) 
Steppenwolf - 3:28 

INSCREVA-SE ASSIM: 
Escolha apenas UMA dezena, AINDA DISPONÍVEL, 
entre 00 e 99, e indique sua escolha nos comentários. 
Sua opção será válida ATÉ às 17 horas do dia do sorteio. 
O sorteio (item 2 do Regulamento) será em 19/08/2015. 

SORTESCO D 08 - RESULTADO

Sem concorrentes,
a opção vencedora é de:
CHICO!
Parabéns!

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

SORTESCO 357


CAMINHOS
EMMANUEL 
psicografia CHICO XAVIER
Livrinho (9x13 cm, 64 páginas) com abençoadas mensagens 
de Emmanuel. Como essa: 
ESPECIAL
"De grande significação reconhecer que 
muito mais importante, para qualquer de nós na vida, 
não é bem aquilo que sucede, 
mas justamente aquilo que fazemos acontecer."

CENTELHAS
EMMANUEL 
psicografia CHICO XAVIER
Livrinho (9X13 cm, 96 páginas) com mensagens mais longas 
do iluminado benfeitor. Pequeno trecho: 
"No caminho da vida, 
há que se aprender com a própria vida". 

INSCREVA -SE ASSIM: 
Escolha apenas UMA dezena, AINDA DISPONÍVEL, 
entre 00 e 99, e indique sua escolha nos comentários. 
Sua opção será válida ATÉ às 17 horas do dia do sorteio. 
O sorteio (item 2 do Regulamento) será em 15/08/2015.