TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

domingo, 29 de março de 2015

TRAVESTISMO CONTÍLICO

Título esquisito, não? O 'contílico' é neologismo meu, e está 
mal aplicado - parece  que se refere a 'conto sobre bêbados", 
e não é nada disso que quero dizer - quero falar sobre a falsa 
rotulação de tramas espíritas como ficção científica. 

- Ué? Acontece isso? 

Sim, é uma coisa sutil, em que é preciso argúcia para perceber 
as novas denominações do que já é conhecido no Espiritismo, 
com outros nomes. 

Um exemplo está na trama de "Uma dobra no tempo", de 
Madeleine L'Engle (SortesFCo 53), que fala sobre o resgate de 
uma pessoa em outra dimensão. Aparentemente está tudo bem: 
É mesmo coisa para ficção científica. Mas, observando-se com 
mais atenção, notamos os detalhes espíritas. 

. Os três meninos (dois adolescentes e um garoto) são levados 
por três velhas que vieram não se sabe de onde, e que se 
'materializam' (ou seja, espíritos). 

. O processo de transporte é chamado de 'quindimensioanar', 
aparentemente invalidando, desta maneira, tudo que se chama 
de 'viagem astral', 'projeção astral', 'dissociação', 'experiência 
fora do corpo', 'projeção da consciência', 'sair do corpo', 
'desdobramento espiritual', e outras denominações similares. 
Mas não deixa de ser, essencialmente, o mesmo. 

. Os meninos creem estar viajando materialmente, mas nada 
impede qe esta impressão seja apenas impressão! Como já foi 
dito em outro post, desencarnados não têm a sensação de estar 
sem corpo. 

. Viajam por planetas estranhos, habitados por seres estranhos. 
Como centauros e seres sem o sentido da visão. Neste planeta 
não existem cores, só o negror da noite e o cinzento do dia. 
Não apenas planetas físicos existem, mas localizações variadas 
no mundo espiritual, em condições inimagináveis, onde se 
reúnem os mais diversos seres, que podem , por ideoplastia, 
revestir-se das mais variadas formas. 

. O 'prisioneiro' é resgatado unicamente pela 'força do amor', 
ensinamento que caracteriza o Espiíritismo. 

Outro exemplo aparece no conto de Frederik Pohl, "Sentado 
à beira da piscina, tomando sol", que consta da revista que 
está no SortesFCo 55, "saac Asimov Magazine, 23". 

Neste conto, alguns humanos são 'convocados' para uma 
conferência no Havaí, por entidades extra-corpóreas, e são 
convocados da maneira mais direta possível: Possuídos! 
O termo é usado na tradução, provavelmente também no 
original. (Havia esta falha na edição brasileira da revista: 
Nem data nem título original são citados). 

O "Livro dos Médiuns", no capítulo 23, item 341, substitui 
o termo 'possessão', que tinha conotações outras, na tradição 
religiosa, pelo termo 'subjugação'. Porém, mesmo entre
espíritas, 
o termo sobrevive. 

A diferença do Espiritismo para o conto é que neste, tais 
entidades são denominadas 'alienígenas', e são citadas como 
seres de planetas situados a milhares de anos-luz. Pronto! 
Eis uma situação tipicamente conhecida no Espiritismo, porém, 
rebatizada como ficção científica. 

Mas, isso tudo não é um fenômeno indesejável. É a força 
mesma da evolução. Os conceitos divulgados pelo Espiritismo 
hão de se espalhar por todas as áreas do conhecimento humano, 
popularizando assim, a mensagem embutida nessa doutrina, 
que é a mesma do Cristo: Amai-vos uns aos outros! 

Abraço do tesco. 

SORTESCO 338

ENCICLOPÉDIA DE
QUIROMANCIA PRÁTICA

DE MARCEL BROEKMAN
"...em linguagem clara e por meio de
mais 
de uma centena de ilustrações,
oferece ao 
leitor tudo que ele precisa
saber acerca 
do assunto, capacitando-o
assim, em pouco 
tempo, a fazer leitura
de mãos e a utilizar a 
quiromancia em
seu benefício e de outras 
pessoas,
como um guia para a vida diária."

Realmente é bem detalhado e não me
é 
mais útil, pois abdiquei da "carreira"
em 
1979, ao fazer uma leitura acertada:
Disse 
a uma 'moça velha' que ela teria dois grandes amores em
sua vida. Foi quando 
ela respondeu, entristecida: - Já tive! 
Eu não estava preparado para consolações sentimentais
(ainda não estou), e saltei do 
barco. Tem  214 páginas. 

INSCREVA-SE ASSIM: 
Escolha apenas UMA dezena, AINDA DISPONÍVEL, 
entre 00 e 99, e indique sua escolha nos comentários. 
Sua opção será válida ATÉ às 17 horas do dia do sorteio. 
O sorteio (item 2 do Regulamento) será em 04/04/2015.

sábado, 28 de março de 2015

SORTESCO 337 - RESULTADO

Sem concorrentes, a vencedora é: 
HISCLA!
Parabéns!

quinta-feira, 26 de março de 2015

CONTRACANTO: É POR ALI MESMO!

A poesia tem destinos diversos e não dá satisfação a ninguém, 
sobre o rumo que vai tomar. Isso é particularmente notado 
quando se inicia a construir um poema. É o caso do poemeto 
enfocado hoje. 

Pensava numa cena corriqueira, com o passar do dia que, 
ora é um transcorrer lento, ora é um turbilhão de momentos 
como água numa peneira, em que nada para. E o resultado 
é a sucessão natural do tempo, nos deixando como legado 
apenas lembranças. 

Eis que surge porém, a mágoa! Ela não deveria estar lá, não
havia nenhum motivo para sua presença, ninguém a tinha 
chamado. Mas ela veio assim mesmo, e se postou bem no fim 
do poema. Vejam como foi fotografada a 'intrusa': 


EM DIREÇÃO  
tesco
(1977.08.04)

"O sol levanta 
O dia corre 
A tarde morre 
A noite cai 

A lua surge 
Um meteoro 
Passa correndo 
Ém um haicai 

Estrelas fogem 
A vida vai... 
E como água 
Já se esvai 

Só minha mágoa  
Que não tem fim  
(É para sempre? 
Não diz que sai) 
Cá se conserva 
Perto de mim." 

   *   *   *   

Nem disse que saía, nem saiu de jeito algum. Do poema. 
Minha vida nessa época não comportava nenhuma tristeza 
especial. A única restrição que havia para a alegria total, 
nessa fase da juventude, era a perspectiva de ter que largar 
o plantão que dava na farmácia, pedindo exoneração do INPS, 
(aprendi então que não se pedia demissão do serviço público, 
tem que ser exoneração), visando a conclusão do curso de 
Geologia. 

Será que isso já estava, inconscientemente, influindo nessas 
pequenas produções? Afinal, era um dinheirinho certo, e tão 
bom para um pobre jovem estudante! 

Não sei, mas a mágoa não se conservou perto de mim, fora 
do poema. Casei, concluí o curso (nessa ordem) e comecei a 
vida profissional na Petrobrás. Xô tristeza! 

Abraço do tesco. 

SORTESFCO 55

ISAAC ASIMOV MAGAZINE Nº23 
EDIÇÃO BRASILEIRA
Editada no Brasil, de 1990 a 1992, esta 
revistinha deixou lacuna irreparável no 
mercado da FC brasileira. Esta edição 
traz a novela "Cyclops" de David Brin; 
e os contos: 
- Com muita honra - Judith Moffet; 
- A melhor arma de Doenitz - Carlos 
André Morés e Antonio César de Oliveira; 
- Os pequenos monstros - Amy Bechtel; 
- O prisma - Bernard Kawa Kac; 
- Sentado à beira da piscina, tomando sol
-
 Frederik Pohl. 
Isso em 190 páginas.

INSCREVA-SE ASSIM: 
Escolha apenas UMA dezena, AINDA DISPONÍVEL, 
entre 00 e 99, e indique sua escolha nos comentários. 
Sua opção será válida ATÉ às 17 horas do dia do sorteio. 
O sorteio (item 2 do Regulamento) será em 01/04/2015. 

quarta-feira, 25 de março de 2015

SORTESFCO 54 - RESULTADO

Sem concorrentes, a vencedora é: 
HISCLA!
Parabéns!

domingo, 22 de março de 2015

CIENTISTA LOUCO

Li em janeiro, um conto publicado na 'Astounding Stories' de 
junho de 1931. 

- Assombroso, não? 

Sim, "Historias assombrosas" ou "Histórias surpreendentes". 

- Não é isso, me refiro a você estar lendo essas coisinhas com 
mais de 80 anos. Não tem coisa mais recente pra ler não? 

Ah, isso não é surpreendente, histórias antigas, além de serem 
mais baratas (grátis, esta é uma palavra que me atrai muito), 
são também fáceis de encontrar na internet. 

- Ah, sempre pechinchando! 

Isso, isso, isso! Mas deixe-me continuar. Na Astounding foram 
publicadas muitas histórias da Era Dourada (Golden Age) da 
ficção científica. Por isso pode-se pensar que tudo que essa 
revista publicava era ficção científica, mas não era: Tudo era 
ficção, mas nem tudo era científico. 

Como exemplo, o conto que venho comentar, "Manape, the 
mighty", de autoria de Arthur J. Burks, autor pouco conhecido 
no Brasil, apesar de ter escrito muitos contos, traz aquele 
velho tema do 'cientista louco'. 

- Ora, isso não é ficção científica? Tem um cientista no meio! 

Não basta ter cientista, é preciso ter ciência. Além disso, se o 
cientista é 'louco', quem pode garantir que as conclusões são 
as corretas? Necessita-se de um mínimo de coerência nestas 
histórias. 

Em "Manape..." o cientista, para fazer suas experiências sem 
nenhuma interferência externa, isola-se do mundo, fixando 
seu laboratório em algum lugar do litoral africano. O que ele 
pesquisava era transplante de cérebros! 

Aqui a primeira incoerência: Ele conta com um poderoso 
anestésico, por ele inventado, farta matéria-prima (gorilas e 
'nativos' africanos), e nenhuma barreira ético-moral. Tudo O.K.! 
Mas não tem nenhum assistente, e nenhum equipamento 
extra é citado! 

Imagine isso! Na medida em que a técnica - em qualquer 
área do conhecimento - vai avançando, faz-se necessária a 
cooperação de mais pessoas. Quando Einstein esforçava-se 
em formar a Teoria da Relatividade, teve que solicitar auxílio 
de amigos matemáticos. Visualizar consequências físicas de 
uma teoria é uma coisa, completar equações matemáticas é 
outra coisa. 

Mas o 'rapaz', sem ninguém pra ajudar e sem maquinaria 
especial, obtém sucesso em transplantar o cérebro de um 
gorila para um 'nativo' e vice-versa. Não pleno sucesso: 
O nativo morre. 

Aí chega o herói da história, um americano, vítima de um 
naufrágio, é acolhido pelo 'professor' que, sem aviso prévio, 
o anestesia e coloca seu cérebro em um gorila e o do gorila 
em seu corpo. 

Até aí, a trama é fantástica mas divertida, serve como 
entretenimento, porém, o que se vê agora é o 'man' no corpo 
de um 'ape', por isso o 'manape' do título. Toda a essência, a 
personalidade, o conhecimento, a memória, o ser do herói, 
foram transferidos com o cérebro! 

- Coerente com a teoria materialista: A mente é secreção do 
cérebro! 

É. Mas a gente sabe que não é assim. Está demonstrado à 
exaustão que a 'alma' não é secreção cerebral, pois se 
manifesta igualmente FORA do corpo físico! E nas 'EQM', 
Experiências de Quase-Morte, a mente atua com o cérebro 
'apagado'. Os cientistas que não aceitam as comprovações o 
fazem apenas por questão ideológica: Não acreditam nisso 
e pronto! 

Se possível o transplante focalizado, haveria complicação 
para ambos, o gorila e o homem, mas devido a inabilidade 
em comandar os cérebros 'novos', não em comandar um 
novo corpo, este seria o habitual. Acredito que o homem seria 
o mais prejudicado pois o cérebro de um símio ainda não 
possui as facilidades, as sinapses necessárias, a que o homem 
está acostmado. 

- Bem, não sei se é resultado de transplante, mas tem muita 
gente por aí que tem cérebro de macaco, é só observar o 
trânsito, pra se notar. 

Ah, mas isso é outra história. Não vamos entrar nessa questão 
agora.  

Abraço do tesco. 

SORTESCO 337

OS GRANDES INICIADOS: JESUS
de ÉDOUARD SCHOURÉ 
Capítulo do livro de Schouré, publicado 
isoladamente, apresenta Jesus como homem 
comum que, após esforçado aprendizado, 
imbuiu-se da tradição esotérica e assumiu 
a personalidade de Messias. Os espíritos 
superiores nos relatam que não foi assim 
que aconteceu. O Cristo encarnou com a 
missão definida e não sofreu indefinição 
de memória, como nos ocorre comumente. 
Mas valem os esforços de imaginação e pesquisa empregados por Schouré.
Formato bolso e com apenas 125 páginas.


INSCREVA-SE ASSIM: 
Escolha apenas UMA dezena, AINDA DISPONÍVEL, 
entre 00 e 99, e indique sua escolha nos comentários. 
Sua opção será válida ATÉ às 17 horas do dia do sorteio. 
O sorteio (item 2 do Regulamento) será em 28/03/2015.

sábado, 21 de março de 2015

SORTESCO 336 - RESULTADO

A dezena sorteada hoje foi 71,
e a opção vencedora é de: 
HISCLA!
Parabéns!

quinta-feira, 19 de março de 2015

CONTRACANTO: SE AVEXE NÃO

Em abril passado, Shirley se preocupava com numerosos 
detalhes adversos como clima, carestia, violência, fome etc. 
Iniciava um lamento em que as nuvens parecem obnubilar 
(eita! obscurecer não fica melhor não?) a mente. 

Os pensamentos confusos não facilitam a conexão entre as 
palavras, a situação econômica fica mais precária a cada dia, 
no noticiário a violência não dá trégua, a fome continua a 
acossar o mundo... 

Todo esse estado caótico (e olhe que ela nem se lembrou de 
corrupção), no entanto, é atenuado pelo romance, em que os 
amantes se entregam a uma interação físico/espiritual que 
gera harmonia, paz, compreensão, integração. Um estado de 
coisas normalmente denominado de 'felicidade'! 
Assimilem a atmosfera do caso, lendo o poema: 

CÉU NUBLADO
Shirley
(2014.04.18)

"O olhar da mente 
no céu nublado 
vertigem ao avesso. 
A inutilidade 
das palavras desconexas 
no fundo infinito do poço 
no limite precário do bolso. 
A realidade a escorrer na pele da alma 
a lamentar a violência e a fome 
apenas um voo. 
Pela janela 
a mente acende 
 as cores os sons os amores 
e eu descanso nas nuvens 
na delícia dos teus braços..." 

   *   *   *   

Aí chega uma interpretação baiana das coisas. Tudo isso que 
atormentaria o ser humano normal, pode ser afastado nesse 
momento. Não é um "Ah, dane-se!", como alguns podem pensar. 
É uma adequação, um agendamento,  afinal, tudo tem seu 
tempo! Pra que se preocupar agora com o que pode, mais tarde, 
ser resolvido com calma, sem afobação? 

Se não concordar, não tenha receio algum, comente à vontade. 
O tesco, porém, deu o seu parecer: 

TÔ NEM AÍ
tesco
(2014.03.20)

"Na delícia dos teus braços 
Os problemas adormecem 
Agruras a mente esquece 
O Sol, que vem, nos aquece 
E atiça uma fome animal... 

E seguindo esses passos 
Artimanhas arrefecem 
A ventura reaparece 
E até o blog, parece, 
Termina co'a sanha infernal! 

   *   *   *   

A filosofia, neste caso, é como canta a Joyce: 
"Sei lá... Não quero saber, eu quero é comer o meu caqui!" 

Abraço do tesco. 

quarta-feira, 18 de março de 2015

SORTESFCO 54

ARQUIVO X: TERRÍVEL SIMETRIA
de STEVE DE JARNATT
"A reprodução em cativeiro é muito
difícil, 
mas o zoológico de Fairfield, em
Idaho, 
superava todas as estatísticas.
Jamais 
havia nascido um filhote por lá -
nem de 
pássaros. Mas, de repente,
coisas muito 
mais estranhas começaram
a acontecer. 
Os animais sumiam de suas
jaulas, 
aparecendo algum tempo depois, 
assustadíssimos. em locais bem
 distantes. 
e nada mais difícil de conter
do que uma 
fera desesperada."
Apenas 102 páginas. 


INSCREVA-SE ASSIM: 
Escolha apenas UMA dezena, AINDA DISPONÍVEL, 
entre 00 e 99, e indique sua escolha nos comentários. 
Sua opção será válida ATÉ às 17 horas do dia do sorteio. 
O sorteio (item 2 do Regulamento) será em 25/03/2015. 

SORTESFCO 53 - RESULTADO

A dezena sorteada hoje foi 19,
e a opção vencedora é de: 
SHIRLEY!
Parabéns!

domingo, 15 de março de 2015

BOBAGENS LINGUÍSTICAS-28

Carlos Almeida de Jesus fez um trabalho primoroso neste seu 
TCC de 2008, "Etimologia – Especulação e mau uso" e, mesmo 
nas "CONSIDERAÇÕES FINAIS", nos fornece valiosos 
ensinamentos. Vejamos o que ele diz: 

CADÁVER E MOLEQUE 

"As versões populares para a origem de cadáver e moleque, 
por exemplo, ainda que sejam falsas, são muito mais 
atraentes do que o traçado etimológico científico dessas 
palavras. Cadáver teria saído da primeira sílaba de cada 
palavra da frase latina “caro data vermibus” (carne dada 
aos vermes). Porém, a verdade é que cadáver vem de 
cadere – cair, tombar. E o corriqueiro vocábulo moleque 
(contribuição do Quimbundo – muleke = garoto) seria 
originário de uma variação de Moloque – a demoníaca 
divindade mencionada no Antigo Testamento." 

Vemos então aqui uma irresistível tendência para complicar 
o que é simples e, ao mesmo tempo, dar a si mesmo ares de 
"doutores", em frente a 'pobres ignaros que não possuem a 
luz da Ciência". Estes últimos somos nós! 

E não escondem boa dose de preconceito e racismo: 
"Quimbundo? Coisa de negro? Não, vamos elevar o nível. 
Origem bíblica fica melhor!" 

E continua Carlos, com origens interessantes para algumas 
expressões: 

"Criamos um certo nível de esquecimento da estrutura 
vocabular para que possamos conviver bem com as 
palavras. Assim, ficamos inteiramente à vontade para dizer 
que embarcamos em avião, em trem, em ônibus espacial 
e até numa fria, sem que precisemos inventar verbos 
especiais para cada um desses casos, já que embarcar veio 
de barco; falamos em tragédia com alpinistas nos Andes – 
bem longe dos Alpes, de anilina que não tem a cor do anil 
e até de emboscadas no deserto, a milhares de quilômetros 
de um bosque." 

Curioso isto: Nunca me passou pela mente que 'emboscada' 
tem relação com 'bosque'. E olhe que é coisa óbvia! 

Mais ainda, ele fala da polissemia, diferentes significados 
para uma mesma palavra, a depender do contexto onde é 
empregada. Exemplifica com o termo 'cabeça', de uso geral 
em nosso cotidiano: 

CABEÇA

"De outro modo, temos ainda a construção do significado 
das palavras por meio do contexto de comunicação: O pai 
diz para os adolescentes antes de sair: “Tenham cabeça!”, 
o encarregado comenta com o seu superior: “Eu sei quem 
é o cabeça da greve”, no noticiário ouve-se: “Ela é uma das 
cabeças do jornalismo carioca” e a criança pode perguntar: 
“Por que o palito de dente não tem cabeça?”– em que cada 
uma dessas sentenças teremos um sentido distinto para o 
vocábulo cabeça (juízo / porta-voz / pessoa reconhecida 
por sua inteligência / extremidade maior respectivamente), 
distanciando, assim, o termo da sua origem (capitia, pl. 
capitium - Latim vulgar) que significava capuz, parte do 
manto que cobre a cabeça, e que por metonímia passou 
a representar a própria cabeça." 

Pois é. E, normalmente, não causa nenhuma confusão esta 
multiplicidade de significados. E é assim que ficamos sabendo 
(eu, que além de ignorante sou bobo) que a origem da cabeça 
é um capuz! Quem diria? 

Como vemos agora, e vimos em posts anteriores, a metonímia 
desenvolve importante papel na origem das palavras. É um 
tal de uma coisa leva à outra que ninguém dá fim. Parece que 
vale pesquisar, pois deve ter assunto para um post específico. 

Por fim - não é o fecho do trabalho dele, mas serve como fecho 
da análise do trabalho dele - ele diz o que NÃO é a finalidade 
da Etimologia: 

"Etimologia não foi feita para apontar o dedo e dizer onde 
e como devemos empregar as palavras só por causa do 
sentido intrínseco que elas possam ter." 

Se a maioria das pessoas assimilasse isso, muita desinformação 
seria barrada em seu caminho. Eu, pelo menos, me esforço 
para não divulgar inverdades. Nunca se sabe onde o resultado 
vai cair, né?

Cosidero que essa leitura do TCC do Carlos Almeida de Jesus,
foi muito proveitosa, por isso quero dar-lhe os parabéns e dizer:
Bom trabalho, Carlos! 


Abraço do tesco. 

SORTESCO 336

CALMA
EMMANUEL 
psicografado por CHICO XAVIER
Livro simples, com 32 mensagens em 80 
páginas, mas precioso no conteúdo. A
calma 
é fundamental: Perca tudo e não
perca 
a calma, e você não perdeu muito.
Pelo 
contrário, pode ter ganho sem
perceber. 
As exortações de Emmanuel,
nos fazendo 
lembrar de ter paciência,
humildade e 
confiança, são de muito
valor em nosso 
controle emocional.
Facilitando assim, 
nossa evolução
espiritual. 


INSCREVA-SE ASSIM: 
Escolha apenas UMA dezena, AINDA DISPONÍVEL, 
entre 00 e 99, e indique sua escolha nos comentários. 
Sua opção será válida ATÉ às 17 horas do dia do sorteio. 
O sorteio (item 2 do Regulamento) será em 21/03/2015.

sábado, 14 de março de 2015

SORTESCO 335 - RESULTADO

A dezena sorteada hoje foi 74,
e a opção vencedora é de: 
CLARA LUCIA!
Parabéns!

quinta-feira, 12 de março de 2015

CONTRACANTO: CURIOSA

O soneto "Curiosa" tem origem similar ao soneto "Ex-flor", 
mostrado em novembro passado. Não com uma história 
subjacente, como aquele, mas como resultado de minha 
frequência ao chat do Terra. 

Entre os diversos nicks que costumavam aparecer, notei o da 
'mocinha' (sei lá que idade tinha!) que se intitulava CURIOSA. 
Não lembro de ter entabulado conversação com ela, mas, no 
mesmo dia em que fiz o soneto da Ex-Fiorella (observo agora 
a data de nascimento), construí também este soneto 'curioso', 
que iria completar 14 anos sem ter outro leitor, além do autor. 
Sim, porque também este não consegui mostrar à 'motivadora' 
do soneto. Era uma época de intenso dinamismo dos chats, e 
era comum não se conseguir entrada na sala desejada. 

Vejam agora a simplicidade da construção: 

CURIOSA
tesco 
(2001.04.26)

"CURIOSA um pouquinho,
um pouquinho CURIOSA
Sinto a vida tão gostosa,
quero vê-la de pertinho,

quero sentir seu carinho,
quero prova saborosa,
de aventura fabulosa
que virá no meu caminho.

Um louva-a-deus quando pousa;
aranha tecendo a teia;
a mariposa sagaz;

se são belas, se são feias
eu quero ver essas cousas
que o dia-a-dia nos traz!" 

   *   *   *   

Como eu não fazia ideia dos seus reais interesses, imaginei 
alguém interessado em ver o mundo em todas as suas facetas, 
incluindo todas as coisas rotineiras e comuns, que apresentam 
aspectos maravilhosos, bastando-nos, para isso, observarmos 
com mais atenção. 

Não é preciso ir longe para nos maravilharmos com os modos 
variados existentes na Natureza. Desde o lento caminhar de 
um miriápode (embuá) à confecção de uma teia de aranha; 
do comportamento de um inseto de jardim às ações de um 
passarinho quando pousa num galho; das atividades de um 
besouro às de um gato, ambos procurando cumprir as funções 
básicas para alimentação ou reprodução; tudo oferece motivo 
para admiração de uma obra imensa e bem concatenada. 

De modo geral e em nossa época, pode-se dizer que não 
basta olhar para ver, é preciso focar a atenção. No entanto, 
para se notar que a complexidade do mundo não é mera 
obra do acaso, é suficiente olhar o mundo. É nestas ocasiões 
que, parodiando Descartes, eu digo: Penso, logo, creio! 

Abraço do tesco. 

SORTESFCO 53



UMA DOBRA NO TEMPO
de MADELEINE L'ENGLE 
Um físico, pai de quatro crianças, está desaparecido. 
A filha mais velha e o caçula, junto a um colega e três 
velhas misteriosas, vão resgatá-lo em outra dimensão. 
Aparentemente uma obra de ficção científica, e que traz 
alguns conceitos de Física (escrito em 1962, a teoria da 
relatividade ainda era mistério popular) e Matemática. 
Mas, basicamente, é uma aventura infanto-juvenil com 
grande participação de fantasia. Nos anos 60 e 70 seria 
uma ótima leitura para guris, Hoje não sei que criança teria 
a paciência de ler, são 224 páginas. 

O PLANETA KALGAR 
de MAURICE VAUTIER 
"No ano 2084 a Terra estava na iminência de sofrer um abalo 
em que sucumbiria quase toda a humanidade. Em vista disso, 
uma expedição é organizada e conduz Peter Glove a Kalgar, 
um planeta onde a população encontrara a felicidade no 
viver. Mas, durante aquele contato, Glove teria oportunidade 
de fazer grandes descobertas sobre aquele povo que sorria e 
brincava..." . Livros de bolso da Ediouro, este tem 138 páginas. 

INSCREVA-SE ASSIM: 
Escolha apenas UMA dezena, AINDA DISPONÍVEL, 
entre 00 e 99, e indique sua escolha nos comentários. 
Sua opção será válida ATÉ às 17 horas do dia do sorteio. 
O sorteio (item 2 do Regulamento) será em 18/03/2015. 

quarta-feira, 11 de março de 2015

SORTEFCO 52 - RESULTADO

A dezena sorteada hoje foi 07,
e a opção vencedora é de: 
HISCLA!
Parabéns!

domingo, 8 de março de 2015

BOBAGENS LINGUÍSTICAS-27

Continuando a ler o TCC de Carlos Almeida de Jesus, no 
curso de Letras da Faculdade Anchieta (SP), em 2008: 
"Etimologia – Especulação e mau uso", colhemos informações 
muito interessantes, uma vez que, o que circula de 'verdade' 
falsa na internet não é brincadeira. 

No item 1.3.2, "Etimologistas de todo tipo", do qual extraímos 
o trecho sobre o provérbio "Quem não tem cão caça com gato" 
(Bobagens... 23), Carlos fala sobre mais cinco expressões que 
foram - ou são passíveis de ser - deturpadas por 'etimologistas' 
falsos. Os dois primeiros termos não se faz necessário o meu 
comentário, pois Carlos é muito detalhado na explicação. 

BATIZAR

"Tomando-se o vocábulo batismo como exemplo, algum 
purista da língua dirá que o termo só poderá ser empregado 
quando se tratar de mergulho nas águas de um rio, visto que 
a Etimologia mostra a ligação de um termo ao outro: 
do grego – baptizein e do latim – baptizare, alusivo à imersão 
completa que se fazia em sacramento aos convertidos da 
Igreja Primitiva. 

Excetuando-se a questão religiosa da obrigatoriedade de ser 
o batismo uma imersão – sabe-se que há divergência entre 
denominações religiosas quanto à aplicação e ao 
procedimento desse ritual eclesiástico – o termo, no português, 
ganhou também a acepção de iniciação, o que permite por 
exemplo falar-se em “batismo de fogo de um combatente”, 
e a acepção de atribuir um nome, por isso é usado sem 
estranhamento “batizei meu cãozinho de Totó”. 

Além disso, a língua portuguesa, com ironia, passou a utilizar 
o verbo batizar para denominar a prática desonesta de 
adulterar líquidos, adicionando a eles quantidades favoráveis 
de água, daí aceitarem-se as locuções: uísque batizado, 
gasolina batizada, leite batizado etc. Como foi visto, por 
extensão de significado, não apareceu, em todas as 
acepções que o vocábulo batismo adquiriu, a noção de 
imersão – tão inerente ao sentido original." 

HISTERIA

"Esses indoutos são capazes de dizer que só as mulheres 
poderiam ser histéricas e que seria coisa de outro mundo 
falar em “homem histérico”. A base, de novo para tal, é 
etimológica: histeria, derivação de hyster = útero (do Grego), 
portanto, anatomicamente relacionada às pessoas do sexo 
feminino; uma doença nervosa que, supostamente, se 
originava no útero, caracterizada por convulsões. 

Todavia, o termo desvinculou-se da esfera biológica e 
passou a designar um comportamento caracterizado por 
excessiva emotividade ou por um terror pânico que se 
exprime por manifestações de ordem corporal. Sendo 
assim, tratou-se de atribuir o termo também ao homem em 
estado sintomático semelhante, mesmo que tendo causas 
muito diferentes das da mulher." 

ENFEZADO

"Os falsos etimologistas em suas engenhocas textuais, 
registram que enfezar significa “estar cheio de fezes”, 
ignoram o fato de que o termo vem do Latim infensare 
– opor-se a alguma coisa com vigor, hostilizar." 

Eu fico enfezado - no sentido original - com essas pessoas que 
divulgam inverdades desse tipo. Acho que elas, na verdade, 
estão 'enfezadas' no sentido que atribuem ao termo. 

VAIA

"...o famoso “Quem tem boca vai a Roma” seria “vaia Roma” 
(desaprova Roma, desaprova qualquer sistema imperialista), 
ignorando o dito dos franceses “Qui langue a, à Rome vá” 
ou dos italianos “Chi lingua ha, a Roma va”;" 

O que temos de vaiar são esses impostores que deturpam 
nosso conhecimento. 

NAS COXAS

"...e ainda, que a famigerada expressão “nas coxas” viria do 
hábito de moldar as telhas de barro nas coxas dos escravos, 
o que as deixavam com forma irregular, quando, na verdade, 
essa expressão sempre indicou, desde a Grécia antiga, um 
tipo de coito alternativo no qual não existia penetração, assim 
“fazer nas coxas” logo foi empregado com o sentido de fazer 
algo apressadamente, deixando mal feito ou incompleto o 
que poderia ser melhor." 

Esta expressão não deve ser muito anterior à Grécia antiga, 
pois, antes disso, os costumes não eram muito atrelados às 
convenções sociais. Não tinha essa conversa de "Mãe não 
quer, pai não deixa...". Era ação nua (ou não) e crua! 

Veremos as "Considerações Finais" desse trabalho num 
próximo post. Até lá! 

Abraço do tesco. 

SORTESCO 335

AMÉRICA PRÉ-COLOMBIANA
de CIRO FLAMARION CARDOSO
Um  livro da coleção "Tudo é História",
nele conta-se como eram, ou como
poderiam 
ser, os povos que habitavam
a América. 
Diga-se a verdade: É mais
especulação 
que esclarecimento.
Os estudiosos desses 
povos são tão
ignorantes quanto nós, sobre o que
falam. As 
grandes diferenças é que têm
acesso a 
mais dados e especulam mais.
Um exemplo é dado 
na página 61, lê-se:
"O termo 'olmecas' é 
tradicional mas é
falso: Originalmente 
designava um grupo que vivia ao sul de 
Veracruz em tempos históricos e nada tinha a ver com os
monumentos antigos." 
Isso não esclarece muita coisa,
não é mesmo?  
Mas sempre é bom ficar a par das novas. 
Formato pequeno e com 120 páginas. 

INSCREVA-SE ASSIM: 
Escolha apenas UMA dezena, AINDA DISPONÍVEL, 
entre 00 e 99, e indique sua escolha nos comentários. 
Sua opção será válida ATÉ às 17 horas do dia do sorteio. 
O sorteio (item 2 do Regulamento) será em 14/03/2015.

sábado, 7 de março de 2015

SORTESCO 334 - RESULTADO

A dezena sorteada hoje foi 60,
e a opção vencedora é de: 
HISCLA!
Parabéns!