TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

segunda-feira, 30 de junho de 2014

BÍBLIA E MITOLOGIA

No post "Os degredados", de 4 de maio último, um dos 
comentários foi de que: 
"toda a Bíblia é um livro de Mitologia"..
Discordei, mas deixei a contestação para um post, pois 
ficaria longo para um comentário. 

A Biblia não é TOTALMENTE um livro de mitologia, nem 
mesmo, SOMENTE um livro de mitologia. Sobre a parte 
introdutória, sim, pode-se dizer que o livro do Genesis é, 
na maior parte pelo menos, cópia de tradições dos mitos 
da Mesopotâmia, e não poderia ser de outra forma, uma 
vez que a própria Bíblia informa que o patriarca fundador 
da etnia judaica, o "Pai Abraão", foi um caldeu, originário 
de Ur. 

Não existe a informação de que o livro de Genesis tenha 
sido revelação a um patriarca ou a um profeta, portanto, é 
lógico inferir que se trata de adaptações das tradições da 
Mesopotâmia, transmitidos oralmente pois não se havia 
adquirido o costumje de transmitir a tradição por escrito, 
mesmo porque, pouquíssimos dominavam alguma arte de 
escrever. 

Ciro Flamarion Cardoso em "antiguidade oriental - Política 
e religião" (em sorteio, aí embaixo), no capítulo 4 (Das 
tribos de Yahveh ao Reino de Israel), nos diz que: 

"Deus garante a fertilidade e a abundâbcia, mas não é 
um deus da fertilidade, comanda os astros e cavalga 
a tempestade, sem poder ser, em si, na sua natureza, 
associado a qualquer destas coisas. Uma religião desse 
tipo, necessariamente, coíbe o pensamento mítico." 

Daqui se pode deduzir que a mitologia tem relação com 
fenômenos da Natureza, se é unicamente isso, eu não sei, 
mas essa relação, efetivamente, não é enfatizada na Bíblia. 
Yahveh não é o deus dos raios, ou deus da colheita, ou 
deus da guerra, ou deus da vingança, é o Senhor de tudo, 
tem jurisdição sobre tudo, pois a tudo criou. 

O professor Ciro prossegue em sua explanação: 

"O texto bíblico abunda em mitos. Ao contrário do que 
ocorria no Egito, na Mesopotâmia, ou entre os hititas, 
porém, a natureza não é  no pensamento bíblico, animada 
e personificada, e portanto também não pode ser explicada 
por relatos nos quais intervenham deuses que encarnam 
forças cósmicas, num ongínquo passado mítico fundador 
(o que abriria o caminho para que se pudesse obrigar o 
universo a se comportar de certos modos desejados, já 
que o mito informa um conjunto de gestos e palavras - o 
ritual - bem como determinadas operações mágicas)." 

O velho mestre, normalmente tão elucidativo, aqui me põe 
no mato sem cachorro: Sua explicação da relação do mito 
com o ritual não me esclareceu nada. De qualquer modo, 
fica dito que, apesar da abundância de mitos na Bíblia, não 
é essa sua ênfase, não é a explicação dos fenômenos da 
Natureza que é buscada pela intervenção de Yahveh. 
Isso fica bem explícito no parágrafo seguinte: 

"O Deus de Israel não se associa aos acontecimentos 
repetitivos e até certo ponto previsíveis da natureza, mas 
à história, que ele comanda numa forma em geral 
inescrutável." 

Um episódio que serve como referência para essa última 
assertiva, é a destruição deSodoma e Gomorra. O que 
quer que tenha acontecido então, não é um fato rotineiro, 
nada de repetitivo. Outras cidades serão destruídas, mas 
não pelo mesmo método. Yahveh tem um bom repertório 
de causas destrutivas. 

Contudo, corroborando a afirmação de que "o texto bíblico 
abunda em mitos", pode-se citar as alegorias do paraíso 
terrestre, a expulsão do casal original do paraíso, a 
tentativa de construção da torre de Babel, também o dilúvio 
universal entra nessa lista. 

Porém, os fatos históricos não são omitidos ou obliterados 
na Bíblia, são sim, 'ligeiramente' alterados pela teologia 
dominante naquela cultura. A interpretação de intervenções 
divinas são uma constante na descrição dos fatos. E um 
"pequeno" exagero, típico das culturas orientais, aparecem 
para temperar as narrativas. 

Como exemplo típico, cito o número de israelitas saídos do 
Egito no êxodo. Tomo as palavras de Bruce Feiler em 
"Pelos caminhos da Bíblia" (edição 2002, pp 241-242). 
Esclareço que Feiler não é nenhum detrator da Bíblia, pelo 
contrário, se declara judeu e fez esta pergrinação pela 
Palestina, descrita no livro, para se identificar melhor com 
o ambiente bíblico. Diz ele:  

"ÈXODO

Mais do que descobrir por onde seguiram os israelitas, saber 
quantos israelitas participaram do Êxodo, tem sido uma fonte 
de curiosidade constante. O texto diz claramente que eram 
600 mil homens a pé, além de mulheres e crianças." 

Ele fala que dois censos foram realizados, um deles após 
o primeiro ano e o outro 40 anos mais tarde, e ambos 
encontraram mais de 600 mil homens. Diz, então, o seguinte: 

"É claro que estes números não são citados por acaso. 
Mas serão verdadeiros?" 

E continua: 
"...mais perturbador é especular como essa população 
masculina de 600 mil homens, que, com mulheres e crianças 
chegaria facilmente a dois milhõesde pessoas, pode ter 
existido no Egito. Com base no cãlculo dos historiadores,
dois milhões de pessoas represenrariam pelo menos 20% 
da população do Egito, o que tornaria iimaginável a tentativa 
de escravizá-los e o fato de terem escapado sem que haja 
qualquer referência a isto em nenhum documento odicial." 

Como se vê, informação confusa não falta na Bíblia. 
Feiler cita uma alternativa que torna a história plausível: 

"Uma outra explicação mais comum é que o número 600 
mil representa a população da monarquia unida de Israel 
depois que esta chegou a Canaã, em meados do primeiro 
milênio a.C,, na época aproximada em que a história bíblica 
foi escrita. Isto tornaria os números coerentes com o fim do 
Êxodo, não com o início. Seja como for, é lícito presumir 
que 600 mil não é um número historicamente preciso." 

Portanto, temos que ver a Bíblia com muito cuidado, nem 
tomando suas afirmações como absolutas, nem fazendo 
o contrário, desprezar suas informações como balelas ou 
coisa de gente ignorante. 

Além disso, a Bíblia para o mundo ocidental, enclui o dito 
"Novo Testamento", que nos oferece os Evangelhos, que, 
mesmo também eivados de mitologia, são a melhor fonte 
de elevação moral para nós, os "degredados". 

Então, não generalizemos os conceitos absolutos, 
estudemos atentamente e será o melhor que podemos 
fazer. 

Abraço do tesco. 

SORTESCO 306

ANTIGUIDADE ORIENTAL 
- POLÍTICA E RELIGIÃO
de CIRO FLAMARION CARDOSO
Em um livrinho de apenas 74 páginas, 
o já saudoso, professor Ciro Flamarion 
comenta aspectos do governo das 
civilizações mesopotâmicas, egípcia, 
hitita, e, não por sua potência na época,
mas por sua peculiaridade, o reino de 
Israel, fazendo notar quanto religião e 
política eram conectados na Antiguidade.
Normalmente com boa didática, Ciro não 
fatiga o leitor e o deixa informado.
Sem a 
obrigação, o estudo sempre 
se torna fonte de prazer. 

INSCREVA-SE ASSIM: 
Escolha apenas UM grupo, de 1 a 20, 
com 5 dezenas já determinadas.
Exemplos: Grupo 1 = dezenas 01, 02, 03, 04 e 05. 
Grupo 20 = dezenas 96, 97, 98, 99 e 00. 
Basta indicar esta sua escolha nos comentários. 
O vencedor será indicado pelo sorteio da Loteria Federal 
(link no ítem 2 do Regulamento), em 05/07/2014. 
Escolha um grupo AINDA DISPONÍVEL, 
ATÉ às 17 horas do dia do sorteio. 

sábado, 28 de junho de 2014

SORTESCO 305 - RESULTADO

A dezena sorteada hoje foi 79,
(item 2 do Regulamento),
e a opção vencedora é de:
HISCLA!
Parabéns!

quinta-feira, 26 de junho de 2014

CONTRACANTO: LUSO APAIXONADO

Esta carta (ou missiva, ou, quem sabe, epístola) já foi 
publicada no NPN, em 2005, e é auto-explicativa. O pobre 
lusitano não resiste ao convívio com a amada, que não 
pode ser sua. 

Como bom romântico das antigas, dedica-lhe um soneto. 
Provavelmente, o coitado é meu antepassado. 

"Querida Amália, bom dia! 

Como estás? 

Estou a perguntar sobre os teus sentimentos, pois que vi 
bem, ainda ante-ontem, que estás a pensar em mim, tal 
qual eu penso em ti, todos os dias e todas as noites. 
Tua presença traz-me um grande bem, assim como tua 
ausência faz-me um grande vazio na alma. 

Sinto imenso a tua falta, mesmo quando sei que estás a 
uns poucos quarteirões de distância do meu coração. 
Porque não te posso ir ver todas as vezes que o meu 
coração mo pede. 

És d'outro, bem o sei. E é por isto que me estou a partir. 
É por não poder mais suportar ver-te aninhada em outros 
braços. 
Vou-me, Eu lá sei para onde. 

Dedico-te este soneto, para que te fique uma recordação 
de mim. 
Que o recortes e o guardes para que eu não esteja ausente 
de todo.

DESTINO 

Companheira ideal tu não a foste,  
Nem minha, por nos conhecermos tarde  
E mesmo assim uma fogueira arde,  
Ainda embora esse calor não toste.  

E seja isto uma coisa que desgoste  
Mas que haja nenhum ato cobarde;  
E que a Desgraça, sem fazer alarde,  
Jamais algum de nós vise e arroste  

Pois que é a fatal mão do Destino  
Nada mais de que o carma resgatado,  
De um espírito que assim o espera  

E numa encarnação, des'  pequenino,  
Evolvendo supera aquel' pecado  
Que nos recônditos d'alma reverbera  

   ~   ~   ~   

Para sempre teu servo, 
  eternamente apaixonado, 

Ladislaus von Tescus "
----------------
Abraço do tesco. 


SORTESFCO 29

FLORESTA É O NOME DO MUNDO
de URSULA K LEGUIN
Novo Taiti é um mundo essencialmente 
água, e as cinco grandes terras estão 
cobertas de árvores. O povo é dócil e 
pacífico. Adivinha quem vem para serrar 
as árvores e transformá-las em tábuas? 
Sim, os terríveis humanos da Terra, 
depois de destruírem a ecologia de seu 
planeta, vêm "modenizar e trazer o 
progresso"! É uma história de resistência 
e vitória. Bom, né? Pelo menos na ficção! 
Apenas 130 páginas. 

INSCREVA-SE ASSIM: 
Escolha apenas UM grupo, de 1 a 20, 
com 5 dezenas já determinadas.
Exemplos: Grupo 1 = dezenas 01, 02, 03, 04 e 05. 
Grupo 20 = dezenas 96, 97, 98, 99 e 00. 
Basta indicar esta sua escolha nos comentários. 
O vencedor será indicado pelo sorteio da Loteria Federal 
(link no ítem 2 do Regulamento), em 02/07/2014. 
Escolha um grupo AINDA DISPONÍVEL, 
ATÉ às 17 horas do dia do sorteio. 

SORTESFCO 28 - RESULTADO

A dezena sorteada ontem foi 32,
(item 2 do Regulamento),
e a opção vencedora é de:
CLARA LUCIA!
Parabéns!

segunda-feira, 23 de junho de 2014

SM VGS

S VC PD CMPRNDR ST MNSGM FC DMNSTRD Q
LNGGM SCRT SM VGS PRFTMNT CMPRNSVL!  


No livro "Coisas da vida" (sortesco 299, maio deste ano),
primeirta edição em 2005, Martha Medeiros publica a
crônica "Abreviados", que parece ser a revisão de uma
crônica mais antiga, disponível na internet com o título
"Salvem as vogais".


Nesta versão do livro, Martha começa o assunto dizendo:

"ABREVIADOS

Nem faz tanto tempo assim, as pessoas diziam Vosmecê.
[...] Com o tempo fomos deixando a formalidade de lado e
adotamos a forma sincopada, o popular você. [...]
Parecia que as coisas iam ficar por isso mesmo, mas o
mundo, definitivamente, não se acomoda. Nessa onda de
tornar tudo mais prático e funcional, as palavras
começaram a perder algumas vogais pelo caminho e se
transformaram em abreviaturas esdrúxulas, você virou vc."


Até aí, nada demais, apenas o reconhecimento de que a
abreviação toma conta de tudo. Isso é uma característica
humana e não é só agora que acontece, sempre foi assim.
Quem não lembra das listas de abreviaturas que tínhamos
que aprender (ou decorar?) no primário? (fundamental,  1º
grau,ou como queiram chamar agora).


Lembro de revistas em espanhol dos anos 50, onde as
propagandas se dirigiam a "U", abreviação para 'usted'.
Desde os anos 70 vejo o mesmo 'u' usado para significar
'you' na língua inglesa (pois tem a mesma pronúncia do 

pronome).
Nada estranho, portanto, que "você" se torne 'vc' numa
linguagem escrita e informal.


O problema começa quando Martha confunde quem usa
as abreviações com quem não consegue expressar seus
pensamentos de forma coerente, ou expressa somente
"um papo furado da pior qualidade, com altos teores de
vulgaridade e agressividade"
(na primeira versão, apenas).


Na verdade, uma coisa nada tem a ver com a outra. Quem
quer expressar vulgaridade, agressividade ou incoerência,
pode usar (ou tentar usar) todas as letras, sem problema
algum, enquanto podemos usar abrevações em palavras
que sejam óbvias ou incômodas para escrita interal, em
mensagens sérias, importantes e sublimes, até.


E ainda mais, o hebraico prescinde de vogais. Pra quem
considera que a Bíblia é a "Palavra de Deus", como poderá
coadunar a Bíblia com "um papo furado da pior qualidade"?


Em ambas as versões da crônica ela conclui com esta
ideia: 


"As vogais são apenas cinco, Perdê-las é uma metáfora.
Cada dia abandonamos as poucas coisas em nós que são
abertas e pronunciáveis.
Daqui a pouco vamos apenas rugir. Grrrrrrr. E voltar para a
caverna de onde todos viemos."


Não é bem assim, mas, se voltarmos para a caverna será
com celular e internet. As coisas realmente mudaram.

E aqui transcrevo a mensagem inicial novamente, desta
vez com as vogais suprimidas. Acredito que já tenha sido
devidamente decifrada:


"Se você pode compreender esta mensagem, fica
demonstrado que linguagem escirta sem vogais é
perfeitamente cmpreensível!". 

brç d tsc

SORTESCO 305

O LIVRO DOS SONETOS
org. Sérgio Faraco

Uma compilação de alguns dos melhores
sonetos da língua portuguesa em 500
anos. Embora o subtítulo diga 1500-1900,
invadie o século 20, mesmo não trazendo
nada de Vinívius, Drummond, Bandeira,
nem mesmo (por incrível que seja) um
exemplo do tesco! Apesar disso, é uma
obra interessante de ser lida com carinho.
Mostra 99 (contei errado?) sonetos, em
apenas 120 páginas de lirismo.


INSCREVA-SE ASSIM:
Escolha apenas UM grupo, de 1 a 20,
com 5 dezenas já determinadas.
Exemplos: Grupo 1 = dezenas 01, 02, 03, 04 e 05.
Grupo 20 = dezenas 96, 97, 98, 99 e 00.
Basta indicar esta sua escolha nos comentários.
O vencedor será indicado pelo sorteio da Loteria Federal
(link no ítem 2 do Regulamento), em 28/06/2014.
Escolha um grupo AINDA DISPONÍVEL,
ATÉ às 17 horas do dia do sorteio.

sábado, 21 de junho de 2014

SORTESCO 304 - RESULTADO

A dezena sorteada hoje é 73,
(item 2 do Regulamento),
e a opção vencedora é de:
ANTONIO!
Parabéns!

quinta-feira, 19 de junho de 2014

CONTRACANTO: CICLOS


Num dos comentários mais recentes no blog da Shirley -
ainda este mês - aconteceu algo unusual. Ultimamente,
tenho comentado suas poesias construindo um poema e,
normalmente, meus poemas saem mais sensoriais, mais
terra-a-terra, de que os poemas comentados.


No dia 14, porém, o comentário saiu mais espiritualizado,
mais etéreo, do que o esperado. Pode-se mesmo distinguir
alusão à reencarnação.


- Ué! Que há de estranho nisso? Se o autor é espírita, é
de se esperar que fale ou insinue a reencarnação.


Certo, mas a estranheza é que não era minha intenção
inicial, nem tocar de leve no tema. Seria apenas uma nota
de consolação, afirmando que o amado ausente voltaria.


Vamos então observá-lo para verificar se estou exagerando,
o que, algumas vezes acontece.
Trancreverei primeiramente, o poema da Shirley, o que farei,
rotineiramente, a menos que ela reclame ou passe a cobrar
'royalties'.


Shirley postou este melancólico lamento:


CICLOS

Os meus olhos violentam
o conteúdo e a forma
dessa noite triste e vazia.
Alço voo para os planos siderais
onde os astros tocam lira com os anjos
e deixo para amanhã
a difícil arte de te esquecer.
Dentro do panorama mental
sob a vestimenta poética da dor
tento me livrar da realidade transitória
contudo
a saudade me assediará todos os dias 
o devotado sol nascerá outra vez
trazendo a chama das ciladas e desejos
do  mundo físico dessa vida inglória...

   *   *   *  

Então comentei desse modo:

CICLOS

Não me esqueças amanhã
o real é transitório


Os astros revoluteiam;
a noite sucede o dia;
e o sol sempre irradia
a energia que tem.


O verde que se renova
recicla os gases do ar,
Tudo que vemos comprova
que o que foi há de voltar.


Assim também voltarei
não enterre a esperança,
o futuro qual criança
retomará vida sã.


Não consagres o ilusório
Não me esqueças amanhã.


   *   *   *  

Embora não tenham ficado tão díspares, não sei se houve
consonância entre os dois, sei apenas que é, de qualquer
modo, uma resposta às queixas do 'sujeito' do poema
original. Ainda acho melhor do que não comentar o belo
poema da Shirley.


Abraço do tesco.

SORTESFCO 28










ESTRELAS O MEU DESTINO
e OS IMPOSTORES
de ALFRED BESTER

Talvez 30 anos atrás eu tenha entendido ambas as tramas,
já que é dito que uma é continuação da outra. No primeiro
livro, Gulliver Foyle, abandonado nos destroços de uma
nave espacial, é resgatado, sete mesess depois. Desde aí,
passa a procurar vingança de um cargueiro que ignorou seu
pedido de socorro. No segundo livro, o maori Rogue Winter
procura por sua amante raptada, por todo o sistema solar.
Não encontro nenhuma citação de Foyle no segundo texto,
nem percebo a ligação entre as duas histórias. É coisa pra
mentes mais ágeis que a minha. Diz-se que "Tiger tiger", o
título original do livro, é um dos clássicos da FC, porém,
não me agradou em nada. Total de 330 páginas, repletas
de esquisitices.

INSCREVA-SE ASSIM:
Escolha apenas UM grupo, de 1 a 20,
com 5 dezenas já determinadas.
Exemplos: Grupo 1 = dezenas 01, 02, 03, 04 e 05.
Grupo 20 = dezenas 96, 97, 98, 99 e 00.
Basta indicar esta sua escolha nos comentários.
O vencedor será indicado pelo sorteio da Loteria Federal
(link no ítem 2 do Regulamento), em 25/06/2014.
Escolha um grupo AINDA DISPONÍVEL,
ATÉ às 17 horas do dia do sorteio.

quarta-feira, 18 de junho de 2014

SORTESFCO 27 - RESULTADO

A dezena sorteada hoje é 01,
(item 2 do Regulamento),
e a opção vencedora é de:
CYNTHIA!
Parabéns!

domingo, 15 de junho de 2014

ANALISANDO LETRAS-12

REVOLTA 

Veremos mais uma composição do Adeino Moreira. 

- Puxa, você é mesmo fã do Adelino! 

Não é bem isso, é certo que aprecio suas  melodias, mas, 
como o que analiso aqui são as letras, esse é um autor 
que oferece recursos pra isto: Suas letras contam histórias 
com início, meio e fim, portanto, bom material para exame. 

Esta composição, "Revolta", gravada em 1959, por Nélson 
Gonçalves, narra o desespero de um homem, separado por 
algum motivo de sua amada (provavelmente ela o deixou), 
acorrentado à sua lembrança. Narrado em primeira pessoa. 

O que pode ser notado aqui, na verdade, é a ausência dos 
sentimentos, pois o que se ressalta é a pesada dominação 
de sensação e de emoção, a paixão impera e o pouco de 
sentimento que transparece é o de amor-ptóprio. 

O personagem não relembra a personalidade integral da 
mulher, sua graça, seu encanto de pessoa humana, sua 
intelectualidade, seu caráter, unicamente atrativo material, 
focado nos "lábios sedutores". Nada que o tempo não 
desintegre (e não precisa ser muito tempo). 

Mas, o pior de tudo ainda não é isso, é o pensamento, que 
ele vai reforçando continuamente, de uma imposição afetiva, 
de se julgar o máximo à que a que a outra pessoa poderia 
aspirar. Esse é, acredito, o passo inicial do caminho dos 
violentos, o que culmina no malfadado refrão: 
"Se não é minha, não será de ninguém!". 

Isso fica evidenciado pelos versos: 
"Eu vou tramando no meu cérebro nervoso 
Uma maneira de magoar teu coração" 
Ora, magoar o coração da pessoa que se ama ainda não 
é a melhor demonstração de amor, pelo menos no que eu 
entendo como amor. 

E ainda: "É meu consolo acreditar que estás sofrendo". 
Pode um amor sincero conceber tal coisa? 
Meus conceitos ainda não atingiram  essas alturas. 
Talvez o Marquês de Sade possa explicar melhor. 

Mas vejam a letra por inteiro, aí abaixo. 
E querendo ouvi-la com Nélson, clique no título da música. 

"REVOLTA
Adelino Moreira

Hoje tão longe dos teus lábios sedutores 
Sem o carinho dos teus beijos, meu amor 
Não tenho horas de sossego em minha vida 
Sou mais um barco que não tem navegador 

Vivo perdido no passado dos teus beijos 
Sinto o fantasma dos teus lábios junto aos meus 
Beijo outras bocas pra fugir da tua boca 
E sinto ainda o sabor dos beijos teus 

O desespero me tirou a consciência 
E no delírio que me envolve esta paixão 
Eu vou tramando no meu cérebro nervoso 
Uma maneira de magoar teu coração 

É meu consolo acreditar que estás sofrendo 
Em tua vida de prazeres e de louca 
Beijando bocas, como eu, mas com saudades 
Dos beijos que eu roubei da tua boca." 

   *   *   *   

Apesar da crítica, não estou destruindo nenhum "Muro de 
Berlim", a música é boa, tanto na melodia quanto na letra. 
Apenas, esta última, se analisada a fundo, revela, não 
falhas de composição, mas falhas do caráter humano. 
E estas não podem ser sanadas de imediato, necessitam 
de seu período de amadurecimento. 

Abraço do tesco. 

SORTESCO 304

O MELHOR DE HAGAR, O HORRÍVEL - 2 
de DIK BROWNE 
Mais um livrinho do Hagar, portanto, mais 
um repositório de bom humor. Em Hagar, 
as situações são enfocadas (como nos
Flintstones) como se acontecessem em 
ambiente contemporâneo, o que nos 
permite comparar e refletir sobre nosso 
tempo e suas contradições. 
São 140 páginas de alegria.


INSCREVA-SE ASSIM: 
Escolha apenas UM grupo, de 1 a 20, 
com 5 dezenas já determinadas.
Exemplos: Grupo 1 = dezenas 01, 02, 03, 04 e 05. 
Grupo 20 = dezenas 96, 97, 98, 99 e 00. 
Basta indicar esta sua escolha nos comentários. 
O vencedor será indicado pelo sorteio da Loteria Federal 
(link no ítem 2 do Regulamento), em 21/06/2014. 
Escolha um grupo AINDA DISPONÍVEL, 
ATÉ às 17 horas do dia do sorteio. 

sábado, 14 de junho de 2014

SORTESCO 303 - RESULTADO

A dezena sorteada hoje é 93,
(item 2 do Regulamento),
e a opção vencedora é de:
HISCLA!
Parabéns!

quinta-feira, 12 de junho de 2014

CONTRACANTO: GRAVIDEZ

GRAVIDEZ

Incentivado por sugestões das amigas Shirley e hiscla, que
insistem para que eu publique meus poemas, dou uma olhada
no meu arquivinho (não são muitos) e verifico que eles estão
ali quietinhos, meio esverdeados por não tomarem sol, e
penso: Por que não levá-los a um passeio no blog?


Tenho publicado alguns, é certo, uns aqui, outros ali... Mas
nada de modo sistemático. Então percebo que as quintas-
feiras são um espaço ótimo para eles: Pouco movimento,
pessoal ainda com suas preocupações cotidianas, gente sem
muita exigência... Então vai! Nas quintas: Poesia!


Publicarei tanto os poemas antigos ainda inéditos, como os
já publicados no extinto Nós por Nós. E ainda, os comentários
que costumo fazer no blog da Shirley, quando, lendo seus
posts, sinto a ânsia do diálogo e a poesia brota (âs vezes).


   *   *   *  
O soneto que nicia a série versa sobre o oue antecede a
confecção de um poema. Tais fatos não são, de modo algum,
obrigatórios ou rotineiros, mas podem acontecer. A criação
tem causas e sintomas 'sui generis', cada caso é um caso.
Mas vejam o que sucedu ao personagem-autor: 


"PARTO DE UM POEMA

Perguntaste se eu estava aborrecido
Ao me veres de tal modo carrancudo.
Respondi, qual menino barrigudo,
Haver nada que me tenha entristecido. 


Foi assim, amuado e bochechudo,
Que fiquei toda a tarde, sem problema
Veio a noite e eu mudei em quase tudo
Rabiscando tortos versos de um poema.


O resultado elucida o que passou.
Desta forma percebi que me sobrou
A explicação final desta aridez


Eu estava num estado transiente
Fui mudando de humor continuamente
E era já o nono mês da gravidez!"

   **  *
  


Por vezes isto ocorre, pode ser até o contrário do que afirma
o personagem, a construção do poema é que desanuvia a
mente, dissipa o estresse, propicia novas luzes ao olhar.
Tudo vale a pena, se a alma verseja!


Abraço do tesco.

SORTESFCO 27

REGRESSO DAS ESTRELAS
de STANISLAW LEM



Ele passou uma temporada de 10 anos 
no espaço, mas na Terra já decorreram
127 anos. "Tecnologia e ábitos sociais
estão completamente alterados: É
ministrada aos seres humanos, na
infância, uma droga que neutraliza os
seus impulsos agressivos.
Como conseguirá um astronauta - que
representa o pioneirismo - adaptar-se
a uma civilização onde não se corre o
menor risco, onde as pessoas se tornam meros  cultivadores do prazer e da 
juventude, esquecendo-se do que significa sonhar ou 
ambicionar?"A perícia do mestre Lem nos conta esse
drama em 186 páginas.

INSCREVA-SE ASSIM:
Escolha apenas UM grupo, de 1 a 20,
com 5 dezenas já determinadas.
Exemplos: Grupo 1 = dezenas 01, 02, 03, 04 e 05.
Grupo 20 = dezenas 96, 97, 98, 99 e 00.
Basta indicar esta sua escolha nos comentários.
O vencedor será indicado pelo sorteio da Loteria Federal
(link no ítem 2 do Regulamento), em 18/06/2014.
Escolha um grupo AINDA DISPONÍVEL,
ATÉ às 17 horas do dia do sorteio.

quarta-feira, 11 de junho de 2014

SORTESFCO 26- RESULTADO

A dezena sorteada hoje é 66,
(item 2 do Regulamento),
e a opção vencedora é de:
ERIKA!
Parabéns!

domingo, 8 de junho de 2014

AMOR ROMÂNTICO


Em 2010 e 2011 acompanhei o Blog da Eliane , que era
animado  pela jornalista Eliane Furtado e foi interrompido
 em maio/2011, infelizmente pra nós, frequentadores, devido
ao falecimento da titular. Era um blog movimentado e bem
divertido, pois a profissão sempre a fazia abordar assuntos
variados.


Um dos posts dos mais interessantes foi esse em que ela
escreveu sobre as opiniões da "especialista em sexualidade"
Regina Navarro,
 Ela abre o assunto assim:


BYE BYE AMOR ROMÂNTICO!

"Vocês sabiam que ter parceiro único vai se tornar coisa do
passado? Pois é. Há muito tempo aqui eu tinha colocado
umas idéias e estudos da psicanalista Regina Navarro sobre
o amor no futuro. Ela é especialista em sexualidade e [...]
defende algumas posições de arrepiar."

Após algumas considerações, passa a expor o pensamento
de Regina:


"Querem saber as idéias da Regina? Então vamos lá:
- Pesquisa feita: 77% de pessoas admitiram que topam
fazer sexo a três.

- Nos últimos anos, mais casais passaram a frequentar
casas de swing, onde fazem sexo com mais de uma
pessoa.


- Os relacionamentos virtuais estão contribuindo para a
tendência de se amar mais de uma pessoa ao mesmo
tempo.


- Numa relação estável as cobranças de “fidelidade” são
constantes e é natural sua aceitação. Severa vigilância
é exercida sobre os parceiros. Isso não adianta muito, já
que, na realidade, todos são afetados por estímulos sexuais
novos, vindos de outras pessoas que não os parceiros fixos.


- O casamento é onde menos se faz sexo. Muitas mulheres
amam seus maridos, não conseguem imaginar a vida sem
eles, gostam de ficar abraçadas, bem junto, fazendo carinho.
Só não sentem desejo sexual algum. Algumas se esforçam
para que o desejo volte a existir: fazem promessas, vão a
motéis, organizam viagens de fim de semana para lugares
bucólicos, abrem um champanhe. Mas não tem jeito.
Desejo não se força, existe ou não.


- O tesão acaba no casamento por causa da excessiva
intimidade, excessiva familiaridade. Mas o principal motivo
é pouco falado: a exigência de exclusividade.
A exclusividade leva ao desinteresse, por eliminar a sedução
e a conquista."


E cotinua com conclusões próprias:


"É queridíssimos, para Regina o amor romântico está saindo
de cena e levando com ele a sua principal característica:
a exigência de exclusividade. Sem a idéia de encontrar
alguém que te complete, abre-se um espaço para outros
tipos de relacionamento, com a possibilidade de se amar
mais de uma pessoa de cada vez. O amor romântico prega
a fusão de duas pessoas e é uma idealização do outro.
Traz a idéia de que você tem de encontrar alguém que te
complete, sua alma gêmea. E esta estória de fusão e
transformação em uma só pessoa não está mais com nada.
E aí? Haja cabeça para tanta mudanças neste campo tão
complexo como o amor e a sexualidade."


A minha opinião era, e ainda é, que não se faz a distinção
necessária, entre amor e sexo. Sexo é necessidade orgânica,
amor é função psicológica, em grande parte das vezes, algo
encolhido lá nos refolhos da alma.


Dão novos nomes às coisas e dizem que é novidade.
Acaso não existia esse tal de 'swing' na antiga civilização
romana? Ou na Babilônia? Claro, não tinha esses nomes
'engraçados', "swing", "Menage a trois", "troca de casais",
era "Bacanal" mesmo, e 'orgia'.


Os costumes, nesse campo, não "sofreram notável avanço",
como poderia se dizer, nem retroagiram contudo, se mantêm
no mesmo passo. O que mudou foi o modo de se observar as
coisas. O moralismo hipócrita é que cedeu alguns milímetros
e permite que se veja as coisas como elas são.


No caso das mulheres, que admitiam tudo veladamente,
agora admitem o mesmo "tudo" abertamente. E não sofrem
(teoricamente) restrições por isto.


Já o amor, como sentimento que é, não deveria sofrer as
influências dos "modismos", seguindo incólume pelos
séculos. Infelizmente, isso nunca aconteceu. Quando falo
'modismos' me refiro a tudo o que é exterior ao sentimento:
Ideologias, religiões, teologias, rotulação social, condições
econômicas, escolaridade, e por aí vai.


A Igreja Católica, por exemplo, é um "modismo" persistente:
Desde o ano 300, talvez, até o século passado, impôs seu
pensamento engessador. O exclusivismo de parceiros, no
ocidente, creio que deriva daí.


Transcrevo meu comentário naquele post, pra comprovar
que minha opinião é a mesma. Se notarem mudança
substancial, podem vir aqui me aplicar uns cascudos:


"Vejo um notável equívoco no assunto: O amor romântico
não é coisa do passado, pelo contrário, é uma evolução.
Talvez tenha nascido na Idade Média, como diz Denis de
Rougemont, em "História do amor no ocidente". Antes disso
havia puramente atração sexual ou interesses financeiros/
políticos, com exceções, claro. Mas a regra geral não previa
sentimentos no enlace entre cônjuges.


O encontro sexual, na História, foi sempre caracterizado pela
oportunidade e pela proniscuidade. Disso são exemplos as
civilizações conhecidas: Roma, Grécia, Babilônia, Egito,
Suméria... Não discuto civilizações orientais mas, a relação
homem/mulher nesse caso, é mais de dominação que outra
coisa, e o homem, provavelmente, vivia em reconhecida
poligamia .


Como a relação sexual, muitas vezes, é o que degrada-se
primeiro nos casamentos, segue-se uma dissolução
sentimental, se o casal não vive uma dimensão espiritual,
digamos assim.


Porém, a paixão inicial, principalmente a idealizada pela
mulher, é puramente romântica, por isso, o romance ainda
tem muito futuro pela frente."


Pois é, ainda vejo o amor romântico com esperanças.


Abraço do tesco.

SORTESCO 303

AMÉRICA
de FRANZ KAFKA

É conhecida a capacidade de Kafka em
transformar numa visão surrealista os
fatos que estão acontecendo. Ele faz
isso tornando seus personagens como
se recém surgidos da criação, ignorantes
e simples, tomando decisões quivocadas
e nos momentos errados, apáticos por
vezes, revoltados noutras ocasiões, de
tal modo que ficam enredados nas mais
estranhas situações. É justamente o que
narra aqui: Um jovem imigrante nos EUA, lutando para
aprender e sobreviver, e, cada vez mais, se afundando
em paradoxos. Em resumo, é um 'kafka'!
São 290 páginas de estranheza.


INSCREVA-SE ASSIM:
Escolha apenas UM grupo, de 1 a 20,
com 5 dezenas já determinadas.
Exemplos: Grupo 1 = dezenas 01, 02, 03, 04 e 05.
Grupo 20 = dezenas 96, 97, 98, 99 e 00.
Basta indicar esta sua escolha nos comentários.
O vencedor será indicado pelo sorteio da Loteria Federal
(link no ítem 2 do Regulamento), em 14/06/2014.
Escolha um grupo AINDA DISPONÍVEL,
ATÉ às 17 horas do dia do sorteio.

sábado, 7 de junho de 2014

SORTESCO 302 - RESULTADO

Na extração de hoje, a dezena sorteada é 12,
(item 2 do Regulamento),
e a opção vencedora é de:
ERALDO!
Parabéns!

quinta-feira, 5 de junho de 2014

CASTELO


Em 2012 construí esse castelo, digo, este soneto.
Fala da história de uma pessoa que deposita as esperanças
de seu futuro tão somente em outra pessoa, e se desilude.
Veja você mesmo:


"CASTELO

Sonho sobre sonho: Assim vou construindo
O castelo que eu sempre desejei.
Leio a planta, lentamente descobrindo
Aposentos entre os quais descansarei.


Fallta pouco, mais um tijolo - eu pensei
E a obra estará toda terminada.
Daí então o sofrimento será nada
Felicidade e paz eu gozarei.


Ao final, tu entraste em minha vida
A construção eu por fim acabarei
Pois a peça que faltava já chegou!


Mas não entravas, já estavas de saída,
Eras base e não ápice, me enganei,
E o castelo, sonho só, desmoronou!"


Não é lá um soneto muito firme, mas, se o próprio castelo
desmoronou, que esperar da solidez de um mísero soneto?
Pode-se reparar na balbúrdia dos tempos verbais, porém,
não consigo visualizar de outra forma:


O personagem está rememorando um passado em que ele
vivia o presente (naturalmente), tinha sentimentos e planos
(que vinham do passado), e tinha boas expectativas quanto
ao futuro.  A confusão de tempos, portanto, é inevitável.


Você pergunta: E daí, e daí?
A conclusão mais óbvia é "não colocar todos os ovos num
mesmo cesto", isto é, quanto à felicidade pessoal, não jogar
toda a responsabilidade pelo seu futuro nas costas de outro.
Afinal todos somos construtores de nosso próprio destino.
Gerenciemos sensatamente.


Abraço do tesco.

SORTESFCO 26

RECORDAÇÕES DO FUTURO
de RAY BRADBURY
Faço aqui uma pausa em edições Europa-
América (ainda tem mais de 20) para o
sorteio de "um Bradbury"! Não é "apenas"
ficção científica, A ficção de Bradbury tem
um aspecto a mais, uma sensibilidade
contagiante, um humanismo inesperado,
uma poesia transbordante. É um autor
que não se pode rotular de FC e pronto,
"c'est finis!". Este livro no original tem o
título de "O homem tatuado", e o filme
dele originado se chama (no Brasil) "Uma sombra passou por
aqui". Na contra-capa se lê: "O corpo do homem estava
coberto de ilustrações [...] E, se observada por alguns
minutos, cada uma contava uma história. [...~Mas havia
um lugar especial em suas costas. Não havia nenhuma
ilustração lá. Quem olhasse para aquele ponto veria seu
futuro... E sua morte!" São 18 contos em 264 páginas.

INSCREVA-SE ASSIM:
Escolha apenas UM grupo, de 1 a 20,
com 5 dezenas já determinadas.
Exemplos: Grupo 1 = dezenas 01, 02, 03, 04 e 05.
Grupo 20 = dezenas 96, 97, 98, 99 e 00.
Basta indicar esta sua escolha nos comentários.
O vencedor será indicado pelo sorteio da Loteria Federal
(link no ítem 2 do Regulamento), em 11/06/2014.
Escolha um grupo AINDA DISPONÍVEL,
ATÉ às 17 horas do dia do sorteio.

quarta-feira, 4 de junho de 2014

fSORTESFCO 25 - RESULTADO

a dezena do 5° prêmio é 31,

do grupo escolhido por 
HISCLA!
Parabéns!

domingo, 1 de junho de 2014

SEM APEGO AO PASSADO


Costumo ler um pouco de tudo ou, se soar melhor, de tudo
um pouco. Nesse vai e vem, topei com uma indicação de
"magia". Não sobre espetáculos de prestidigitação, mas a
Magia na verdadeira expressão.


Não é meu tipo preferido de leitura, mas enfrentei o desafio.
Trata-se de "O caminho do verdadeiro adepto", do tcheco
Franz Bardon (1909-1958), em que são apresentados os
métodos clássicos da 'mentalização', vulgarizada hoje por
livros como "O segredo".


Bardon não facilita para o aprendiz de Mago, não diz que a
coisa se resolve simplesmente por pensar positivo e "plim":
Todas as riquezas do universo estão a seus pés. Nada disso.
Apesar de mostrar as etapas passo-a-passo, com exercícios
e verificações, tudo vai depender do esforço e da dedicação
do aprendiz.


Como na evolução do espírito, as fases se sucedem quando
há um efetivo aprendizado e superação da fase atual. Não
há truques nem fraudes que contornem o esforço próprio
necessário para o avanço.


Não pretendendo me tornar um Mago, li o tratado sem me
preocupar em cumprir as exigências, nem mesmo assimilar
as informações. No entanto, no capítulo 8 (Grau VIII -
Instrução Mágica da alma), aparece uma instrução que me
parece muito útil e prática, quando aplicada em nossa vida
rotineira. Arquivei-a e apresento-a agora:


"É basicamente errôneo prender-se ao passado e
lamentar as coisas desagradáveis que o destino lhe
impôs. Só os fracos queixam-se constantemente para
despertar a piedade dos outros.


O verdadeiro mago sabe que através da evocação
de imagens do passado elas podem voltar à vida,
desencadeando novas causas e criando novos
obstáculos no seu caminho.


É por isso que o mago vive exclusivamente o presente
e olha para trás só em caso de necessidade.
Para o futuro ele fará só o planejamento do que for
estritamente necessário e deixará de lado todas as ilusões
e fantasias, para não gastar com elas as energias tão
arduamente conquistadas, e para não dar ao subconsciente
a possibilidade de criar obstáculos em seu caminho.


O mago trabalha objetivamente na sua evolução sem
esquecer seus deveres materiais, que deverão ser cumpridos
com tanta consciensiosidade quanto as tarefas de sua
evolução espiritual. Portanto, ele deverá ser muito
severo consigo mesmo. Deverá sempre ser muito
prudente, e no que se refere à sua evolução, discreto."


Essa alusão ao subconsciente: "...não dar ao subconsciente
a possibilidade de criar obstáculos...",
me faz lembrar os
preceitos budistas de pensar, agir, falar corretamente.
A prática do agir é lembrada por:
",,,seus deveres materiais, que deverão ser cumpridos
com tanta consciensiosidade...",
e "prudente' e 'discreto'
levam a um falar correto.


É isso! você não precisa ser Mago, nem fazer curso de Magia
para introduzir estes conceitos na sua vida. É algo que não
lhe trará nenhum prejuízo e, ao contrário, pode ajudar em
muitos aspectos.


Portanto, diminuamos, pelo menos, nosso apego ao passado.

Abraço do tesco.