TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

quarta-feira, 19 de julho de 2017

O 13 QUE A HISTÓRIA NÃO CONTOU

Nunca tinha olhado a situação do povo negro escravizado
no 
Brasil, sob a ótica trabalhista, até ler um artigo publicado
no 
"Recanto das letras" em 25/01/2011, pelo professor
universitário 
Acúrsio Esteves, baiano, atuando em Salvador. 


É um artigo muito esclarecedor, cuja leitura recomendo a
todos 
que usam o cérebro para pensar. Obviamente, não é
leitura 
recomendada a nenhum 'coxinha', que só lê o que 
lhe reforça a ideologia destrutiva. 

"O 13 QUE A HISTÓRIA NÃO CONTOU"

"Treze de maio de 1888 passou para a história do Brasil
como 
o dia em que teria se acabado a escravidão em terras 
tupiniquins. 

Depois que a pena da princesa anunciou por decreto que não 
mais haveria jugo, a população negra a partir de então seria 
livre, não teria mais senhorio e poderia viver com dignidade 
e igualdade. 

Assim a escola me ensinou, assim eu aprendi e assim
acreditei 
durante longos anos da minha vida. É certo que
nunca entendi 
bem porque a Princesa Isabel, “A Redentora”,
decidira tomar 
tal atitude contrariando os interesses dos
que detinham o poder 
e entrando em sintonia com os
anseios da subjugada população 
negra, de alguns poetas,
intelectuais e políticos sonhadores que 
se diziam
abolicionistas. Pensava: foi uma verdadeira revolução 

sem sangue feita por uma mulher de coragem. 

O que a escola nunca me ensinou foi que à época, os
negócios 
do açúcar brasileiro, que era a principal fonte de
riqueza 
nacional e onde estava alocada aproximadamente
90% da 
mão-de-obra escrava, iam de mal a pior. O açúcar
da América 
Central era mais barato, mais próximo dos
grandes mercados 
e de melhor qualidade que o nosso.
Não dava para competir. 
Infelizmente só aprendi a
“História da Conveniência”, e 
Geografia Física onde os
aspectos políticos e econômicos 
“não eram” de nosso
interesse. 


O imenso contingente de escravos tornara-se então um
fardo 
para os senhores de engenho. Como sustentar esta
”horda” 
de homens, mulheres e crianças, mesmo sob
miseráveis 
condições, diante de tal crise econômica?
Era a pergunta que 
não se calava e que teve apenas uma
resposta: Demissão em 
massa.

Sim amigos e amigas, a demissão em massa foi a 
solução
encontrada para os trabalhadores e trabalhadoras 
forçados 
que edificaram e sustentavam  a economia nacional. 
E foi a maior, mais cruel de todos os tempos e quiçá de
todas 
as partes do mundo. 

Foi uma demissão sem direitos trabalhistas, quando milhões 
de trabalhadores saíram do único abrigo que conheceram
por 
toda a vida apenas com seus míseros pertences e a
roupa do 
corpo. 
E não tinham direito a ficar se quisessem. Só os mais aptos
ao 
trabalho ou os que possuíssem alguma especialização
foram 
mantidos como empregados, apenas pelo interesse
do seu 
senhorio capitalista. Esta demissão teve um nome
bonito: 
Lei Áurea. 

Antes dela, porém, vieram outras da mesma forma
convenientes 
aos interesses da classe dominante.
Vejamos: A primeira foi a 
Lei Eusébio de Queirós, em 1850,
que proibia o tráfico. Como a 
Inglaterra na prática já havia 
decidido interceptar e apreender os navios negreiros,
libertando os escravizados, então, foi uma 
lei inócua. 

A segunda, a Lei do Ventre Livre, 1871, serviu apenas para 
diminuir a pressão social dos abolicionistas. Ela não tinha 
aplicação prática, pois, como a criança pode ser livre com
pais 
escravos? Será que ela, a criança, teria escola,  moradia
digna 
e cidadania enquanto seus pais estavam nas senzalas?
Ela, 
que ainda seria tutelada até a idade de 21 anos pelos
senhores 
de seus pais, teria vida de cidadã ou de escrava? 

A terceira, a Lei dos Sexagenários, 1885, foi a mais perversa 
de todas, pois a expectativa de vida do cidadão livre à época 
era de 60/65 anos e a do escravo 32/40 anos. Eram raros os 
que chegavam à idade contemplada pela lei. Era muito difícil 
ter o controle da idade exata do escravo. Ainda hoje não são 
poucas as pessoas que não possuem registro de nascimento. 
Então, se o negro estivesse apto ao trabalho, forte, com boa 
saúde, era fácil dizer que ele ainda não tivesse alcançado 
a idade prevista pela lei. Porém se ele estivesse doente ou 
imprestável para o trabalho, nada mais cômodo que 
conferir-lhe os 60 anos e mandá-lo embora. 

Após a “libertação”, o imenso contingente “livre”, dentre os 
quais estavam os  fracos, doentes, velhos, crianças e outros 
“excedentes”, foi enxotado de uma hora para outra para o 
olho da rua. Não havia uma política agrária nem instrução 
pública e gratuita para os libertos, como defendia Joaquim 
Nabuco. Você já parou para refletir sobre as futuras 
condições de vida dos(as) que foram “libertados”? 

_ Onde iriam morar? 
_ Como iriam sobreviver? 
_ Iriam ser respeitados de uma hora para outra 
   como cidadãos e cidadãs? 
_ Que tipo de oportunidades a “sociedade” que
   eles 
construíram ofereceria para que esta gente
   construísse 
sua vida? 

Não é preciso ser especialista em sociologia para responder a 
estas indagações. Mas onde foi parar esta gente escorraçada 
das ruas das cidades por “vadiagem”? Que não tinha trabalho 
para sustentar a si nem a sua eventual família, nem moradia 
digna? Foi parar na periferia das cidades, morando em casas(?) 
miseráveis, sem esgoto, luz, água tratada, lazer, trabalho, 
educação, saúde, dignidade... Onde permanece, em sua grande 
maioria, até os dias atuais. Alguma semelhança com a Rocinha, 
Alagados, Pela Porco, Buraco Quente, Vigário Geral, Jardim 
Felicidade, Vila Zumbi, não é mera coincidência." 

Estão aí, límpidas e claras, as razões de todas as políticas 
afirmativas levantadas para o povo negro, que não são
nenhuma 
concessão gratuita, mas sim tentativas de
pagamento de uma 
dívida inquestionável! 

Abraço do tesco. 

SORTESCO D 49 - RESULTADO

(Clara Nunes / Karaokê)
A dezena sorteada hoje foi 72, 
a opção vencedora é de:
ÉRIKA!
Parabéns!

domingo, 16 de julho de 2017

SORTESCO 405

PÁRIAS EM REDENÇÃO
VICTOR HUGO psicografado
por DIVALDO FRANCO


"Sob forma de romance, apresenta um estudo da alma humana 
no seu caminho para a redenção. Relata, na primeira parte, 
uma trágica história de crimes, que se desenrola entre altas 
personalidades da nobreza de Toscana (Itália) do século XVIII. 
Na segunda parte, é narrado o infeliz despertar do criminoso 
no Além, seu julgamento sob a acusação da consciência 
culpada, a sua reencarnação e a de diversos personagens 
envolvidos nos laços da lei de causa e efeito. A arte final narra 
a forma usada pela Lei Divina para dar "a cada um segundo 
as suas obras", permitindo aos párias a sua redenção, tanto 
na vida física = quando reencarnados no Brasil dos séculos XIX 
e XX = quanto no Além, onde os personagens, então 
harmonizados, experimentam a felicidade de constatar que 
"o presente apaga as sombras do passado e abre novas portas 
redentoras para o futuro". Tem 404 páginas.

MEDITAÇÕES DIÁRIAS
ANDRÉ LUIZ psicografado
por CHICO XAVIER


Neste livro são apresentadas 37 mensagens de André Luiz, 
já publicadas em outros livros, mas que não perdem sua 
atualidade. São mensagens lúcidas, simples e objetivas, 
e de caráter totamente edificante. Tem 160 páginas. 

INSCREVA-SE ASSIM: 
Escolha apenas UMA dezena, AINDA DISPONÍVEL, 
entre 00 e 99, e indique sua escolha nos comentários. 
Sua opção será válida ATÉ às 17 horas do dia do sorteio. 
O sorteio (item 2 do Regulamento) será em 22/07/2017. 
(ou data indicada pela Caixa). 

sábado, 15 de julho de 2017

SORTESCO 404 - RESULTADO

(Histórias que a história não contou / Comendo o planeta)
A dezena sorteada hoje foi 24, 
a opção vencedora é de:
MANOEL CARLOS!
Parabéns!

quinta-feira, 13 de julho de 2017

SORTESCO D 49

CD CLARA NUNES
MEUS MOMENTOS 1 e 2


A melhor cantora do país nos anos 70 - perdoem me os fans 
de Ellis - de voz suave e com magnífico repertório. Pra mim 
é a própria representação da "Morena de Angola". Mostran-se 
aqui 32 dos seus sucessos. 
No disco 1: 
01. O Mar Serenou 
02. Morena De Angola 
03. Conto De Areia  
04. Feira De Mangaio  
05. Ê Baiana 
06. Na Linha Do Mar 
07. Meu Sapato Já Furou 
08. Quado Vim De MInas 
09. As Forças Da Natureza 
10. Canto Das Três Raças 
11. Portela Na Avenida 
12. Juízo Final 
13. Ijexa 
14. Alvorecer 
15. Lama 
16. Menino Deus 

No disco 2: 
01. Tristeza Pé No Chão 
02. Você Passa, Eu Acho Graça 
03. Basta Um Dia 
04. Guerreira 
05. Meus Tempos De Criança 
06. Alvorada No Morro 
07. Festa Para Um Rei Negro (Pega No Ganzê) 
08. Coração Leviano 
09. Tudo É Ilusão 
10. Serrinha 
11. Feitio De Oração 
12. A Deusa Dos Orixás 
13. Sem Companhia 
14. Macunaíma 

CD KARAOKÊ volume 4
GRUPO POP POPULAR


Para você se esbaldar no meio da sala, relcamando do fuscão 
preto, ou da chuva - se não estiver nada prateada. Também 
pode mandar um recado ao namorado, que anda "farrapando" 
com você. O Grupo Pop Popular emula bem direitinho os 
artistas originais, o que é um incentivo a mais pra você se 
evelar no mundo artístico. 
01. Aquela Nuvem 
02. Fuscão Preto 
03. Chuva de Prata 
04. Recado (Meu Namorado) 
05. A Ciganinha 
06. Foi Deus Quem Fez Você 
07. Serenata 
08. 20 e Poucos Anos 

INSCREVA-SE ASSIM: 
Escolha apenas UMA dezena, AINDA DISPONÍVEL, 
entre 00 e 99, e indique sua escolha nos comentários. 
Sua opção será válida ATÉ às 17 horas do dia do sorteio. 
O sorteio (item 2 do Regulamento) será em 19/07/2017. 
(ou data indicada pela Caixa). 

quarta-feira, 12 de julho de 2017

SORTESCO D 48 - RESULTADO

(Cat Stevens / Cantores do Rádio)
A dezena sorteada hoje foi 16, 
a opção vencedora é de:
CHICO!
Parabéns!

domingo, 9 de julho de 2017

SORTESCO 404

HISTÓRIAS... 
QUE A HISTÓRIA NÃO CONTOU
PAULO MACHADO DE CARVALHO FILHO
Org. Cláudio Corraúci



"Paulo era o diretor das Rádio Record e Panamericana, na 
época de ouro do rádio brrasieiro e foi um dos pioneiros da  
criaçção da TV no país. Foi o responsável pelo lançamennto 
de progrramas como "Família Trapo", "Jovem Guarda" e 
"O fino da bossa", além de organizador dos inesquecíveis 
festivais daTV Record. Histórias reais e curiosas que viveu 
durante sua vida profissional e pessoal entre 1940 e 1990."
Fartamente ilistrado em 192 páginas.

COMENDO O PLANETA: 
IMPACTOS AMBIENTAIS DA CRIAÇÃO ECONSUMO DE ANIMAIS
CYNTHIA SCHUCK e RAQUEL RIBEIRO

"As relações diretas entre a criação de animais para consumo 
e várias das crises ambientais, como desmatamento, extinção 
de espécies, emissão de gases de efeito estufa, escassez hídrica, 
poluição do solo e das águas e a proliferação de zonas 
oceânicas mortas são alguns dos temas apresentados neste 
livreto produzido pela Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB), 
O material é respaldado por estudos científicos recentes e 
dados oficiais de órgãos reguladores e governamentais. Mais 
do que estimativas alarmistas, estes dados revelam o contributo 
decisivo do setor pecuário nas alterações ambientais em escala 
global em curso."
Apenas 64 páginas, mas alertando sbre uma situação gravíssima. 

INSCREVA-SE ASSIM: 
Escolha apenas UMA dezena, AINDA DISPONÍVEL, 
entre 00 e 99, e indique sua escolha nos comentários. 
Sua opção será válida ATÉ às 17 horas do dia do sorteio. 
O sorteio (item 2 do Regulamento) será em 15/07/2017. 
(ou data indicada pela Caixa).